Crônicas Tristes e textos sobre tristeza da Literatura Corrosiva

Crônicas Tristes e Curtas - Literatura CorrosivaSob a penumbra, um silêncio ecoa em um peito decadente. Feridas eternas magnetizadas na insistência em viver. Respirar. Rastejar. Já não é a mesma presença. Já não é a mesma carência. Nem a mesma forma atônita de se crer, reter, reconsiderar. Em meio ao manto, sob nuvens negras, Crônicas Tristes se desenham em papel rasgado. Em bytes, refazem-se depressivas e moribundas.

Aqui remanescem Crônicas Tristes em momentos onde o agora torna-se eterno, num rastejar sem fim. Sôfrego. Calado. Cansado. Velhos momentos, uma velha densidade fria, reimpressos em Crônicas Tristes. A cortina que se fecha. A ferida que se abre. A criação poetizada e calcificada nestas palavras que o silêncio insiste em rimar.

Me ouça. Me destempere. Me reflita. E me acompanhe nestas tardias Crônicas Tristes:

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens com crônicas depressivas e tristes.

Seu e-mail (obrigatório)