Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Vestida em Farrapos

(Baseado em Like a Rolling Stones – Bob Dylan)

A psicologia embriagada e vestida em farrapos. E o que ela esperava do mundo? Comportava-se como a senhora de todos os sentidos. Comportava-se como se a próxima onda pudesse levá-la para um lugar seguro. Mal percebia o sangue estancado em suas veias frágeis, deflagrando sintomáticos sussurros falhos. Uma isolação perfeita, escondida atrás dos muros que ela mesma construiu. Raramente tocada por um amor ensaiado, ela costumava rir do vácuo nos olhos de seus admiradores. A riqueza lhe garantia esperança. E agora, com seus passos vacilantes pelas ruas, sem uma direção definida, tenta seguir a linha que os vermes deixaram em seus trajetos, conduzindo-a ao nada. E o que lhe restou? Ela está irreconhecível para si mesma. Faltam-lhe versos. Falta-lhe direção. Ferida e esgotada. Seu medo sussurrante. Seu opróbrio. Seus olhos embriagados já não revelam uma confiança qualquer. Sua postura confiante já não encanta nem os condescendentes. É a hora de sua vergonha se tornar pública. Ela é a piada da vez.

Crônica Vestida em Farrapos

(Crédito Foto: Mohamad Itani)

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

3 Comments

  1. Que texto maravilhoso… me deixou emocionada, parabéns :)

  2. Parabéns pelo os seus textos, eles são muito emocionantes.
    De onde tira tanta inspiração?

    • Juliano Martinz

      21 julho, 2016 at 14:17

      Alegrias e tristezas, surpresas e decepções… tudo é matéria-prima!
      Obrigado pelo comentário, Nathalia.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑