Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Como Publicar Um Livro

Depois de escrever “Fim” em sua obra, você fecha os olhos e imagina seu livro nas estantes de todas as grandes livrarias, noite de autógrafos, prêmio Nobel de literatura… espere!!! Antes disso, há um caminho penoso a ser percorrido para publicar um livro

Para os aspirantes a novos escritores publicados, uma boa sugestão é iniciar com pequenos textos. Em vez de partir do zero em direção à publicação de um romance, considere a possibilidade de colocar textos menores (como contos e crônicas) a disposição daquele que se tornará seu público. Isso não é pensar pequeno. É ser realista. Pés no chão, entende? Depois de um tempo, após desenvolver uma audiência consistente, adquirir habilidade em criar e escrever textos, então poderá partir para um desafio maior: publicar um livro.

Por isso, este artigo será dividido em duas partes. Primeiramente, os passos para você publicar pequenos textos, e depois o penoso (mas não impossível) caminho até a publicação de livros.

Publicar livro

ÍNDICE

Como e Onde Publicar Pequenos Textos

Após escrever um texto curto, como um conto ou uma crônica, é hora de disponibilizar sua criação para o mundo. Como fazer isso? Quais os caminhos mais propensos para esta iniciativa?

Ter um blog parece a resposta imediata e única. Imediata, sim. Mas não a única.

Revistas

Como sabemos, as revistas não são muito propensas a publicar histórias de ficção (estamos falando de Brasil, ok). Pelo menos, não de nobres anônimos como talvez seja o seu caso. Posso ser franco? É muito, muito difícil conseguir publicar textos de ficção em uma revista. Maaaaas….

Pode ser que algumas tenham a disposição um pequeno espaço onde, dependendo da qualidade do seu texto, você consiga uma oportunidade. Isto pode ser facilitado se considerarmos as versões online, onde aparecem artigos não disponibilizados nas versões impressas.

Neste caso, é mais fácil publicar textos em revistas de nicho, aquelas focadas em um assunto bastante específico (como esportes, pesca, saúde, etc). No entanto, é interessante que o texto tenha alguma relação com a temática da revista. Ou seja, para revistas de esporte, envie textos e crônicas que tenham relação com o meio esportivo, e assim por diante.

Visto que o espaço em revistas de grande circulação é bastante competitivo, você poderá inicialmente focar as revistas locais. Verifique se há revistas sendo produzidas em sua cidade ou região, e veja como proceder para enviar seus textos para eles.

Sempre verifique se a revista traz informações sobre como enviar seus textos: e-mail, tamanho máximo do texto (em números de palavras ou caracteres) e, até mesmo, se é necessário o envio de algum currículo em anexo. Sempre que enviar seus contos ou crônicas, siga integralmente as orientações de envio. Isto é muito importante. Se o limite são 300 palavras e sua crônica tem 350, não tem jeito. Vai ter que cortar. Do contrário, você se queima, e perde a chance de ter seus textos publicados.

Esteja preparado para a possibilidade da redação entrar em contato com você e pedir para fazer algumas alterações. Isto é comum em algumas revistas.

Por fim, tenha em mente que você não receberá qualquer centavo para publicar seus textos em tais revistas. Encare esta publicação como uma publicidade gratuita. Você terá a satisfação de ver seus textos publicados, e promoverá a marca que está divulgando, neste caso, você mesmo.

Jornais

A maioria dos princípios citados no subtópico anterior, Revistas, se aplica aos jornais. A grande diferença é que jornais, por serem diários, oferecem maiores oportunidades para publicação de autores desconhecidos.

Para redução de custos, e também acompanhando as tendências da era tecnológica, os jornais estão diminuindo a produção impressa e aumentando a online. Isto significa que você terá maiores oportunidades de ver seu texto publicado na versão online de um jornal. Isto oferece vantagens e desvantagens.

  • Vantagem: sua história pode chegar a um número muito maior de leitores do que se fosse tão somente impresso. Sua base de leitores poderá ser construída de forma muito mais rápida. Além disso, você terá um link para sua obra que poderá compartilhar com outros;
  • Desvantagem: se um dia desejar lançar um livro com uma coletânea dos seus textos, será mais difícil uma editora apostar na publicação de textos que já estão disponíveis gratuitamente, na internet.

Concursos Literários

Em uma breve pesquisa na internet, você se deparará com diversos concursos literários acontecendo nos quatro cantos do país. Alguns são financeiramente convidativos, oferecendo quantias em dinheiro para os vencedores. Outros, porém, oferecem a Oportunidade (sim, com letra maiúscula) para seu texto figurar em alguma antologia. Novamente, devemos pensar na publicidade gratuita que os textos recebem. Não pense somente em termos financeiros. Se você é um jovem escritor ou uma jovem escritora, o que precisa no momento é de um espaço para divulgar seu nome e suas obras. Uma antologia, mesmo que não lhe seja pago um centavo sequer, poderá ser um dos elementos a ajudá-lo a publicar um livro, futuramente.

Voltar ao Índice

Publicar Um Livro Com Coletâneas

Como já citei, devemos nos lembrar que a publicação de pequenas crônicas e contos ao longo dos anos poderá também render um livro no futuro, como uma coletânea.

Se este for o seu caso, há dois fatores que precisa dar atenção para aumentar a probabilidade de uma editora comprar sua ideia:

  • Faça uma coletânea de textos com temática semelhante: se analisar algumas coletâneas de crônicas de autores como Luís Fernando Veríssimo, verá que seus livros costumam seguir um tema geral. Assim, reúna seus contos e crônicas guiados pelo mesmo tema ou personagem. Sequencie os textos de forma estratégica. Isto aumenta a probabilidade dos textos serem aprovados e convertidos em um livro impresso;
  • Inclua textos inéditos: como já citado, é mais difícil para uma editora publicar uma coletânea de textos que estão disponíveis na internet, gratuitamente. Por isso, é importante que você inclua alguns textos inéditos (quanto mais, melhor). Obviamente, estes textos inéditos devem respeitar o item anterior, ou seja, seguir o mesmo tema que os demais.

E, é claro, sempre que enviar seus contos e crônicas para uma editora, inclua todas as revistas e jornais onde você já foi publicad. Isto aumentará sua credibilidade como um possível autor de grande projeção.

DICA: sempre que se deparar com um novo autor no mercado, publicando seu primeiro livro, verifique atentamente as páginas de agradecimentos. Muitos autores costumam agradecer às revistas e jornais onde suas histórias foram publicadas pela primeira vez. Isto pode ser uma excelente dica do autor para você.

Envio de Obras Para Editoras

Publicar livro

No chamado método tradicional de publicação, as editoras assumem as despesas com a produção dos livros e pagam ao autor uma comissão pelas vendas. Para isso, a editora deve ler sua obra e, caso seja aprovado, é feito um contrato.

Sempre que decidir enviar um livro para uma editora, verifique se ela publica obras do seu gênero literário. Não adianta enviar um romance para editoras que publicam apenas livros infantojuvenis. Aí você está querendo perder tempo e dinheiro, fala a verdade. E nunca deixe de verificar cuidadosamente o processo para envio das obras. Há editoras que solicitam o livro todo. Algumas, por outro lado, pedem apenas uma sinopse e talvez os primeiros capítulos. Há casos de editoras que pedem que seja enviado o original impresso, ao passo que outras aceitam obras em formato digital. Por fim, sempre há editoras que deixam bem claro que não estão recebendo originais. Portanto, ler as diretrizes de envio e respeitá-las é o primeiro passo para ter sua obra publicada.

Há diversas editoras que aceitam livros de autores iniciantes como a Novo Século, editora Rocco e Novas Páginas. Em uma breve pesquisa no seu mecanismo de busca preferido, encontrará outras editoras que se enquadram neste objetivo.

De qualquer forma, ao decidir enviar seu livro para algumas destas editoras, não deixe de visitar as respectivas páginas e conferir os requisitos especificados.

Que Material Devo Submeter à Editora

Como mencionado logo acima, cada editora poderá ter requisitos específicos quanto ao que deve ser enviado ao solicitar a publicação de um livro de ficção ou não-ficção.

De modo geral, esteja atento ao seguinte:

  • Personalize sua carta de apresentação: não faça uma impressão padrão para ser enviada a todas as editoras. Você está vendendo seu livro, e precisa personalizar sua apresentação de acordo com a editora que receberá seus originais. Mencione porque você se interessou por ela, e porque acredita que é a editora ideal para a publicação do seu livro;
  • Deixe claro o que está oferecendo: em um documento a parte, mencione qual o seu gênero ou categoria, o número de palavras e uma sinopse de sua obra, e se você planeja fazer deste livro uma série. No tocante à sinopse, inclua o nome da personagem principal, e uma pequena descrição do seu conflito e objetivos. Mas não se estenda demais. Deixe o sabor do suspense no ar, o que poderá induzir o agente da editora a querer ler sua obra;
  • Diga quem é você (sua pequena biografia): isto se você tiver algo de relevante a dizer. Mencione, nominalmente, os jornais e revistas onde já foi publicado, eventuais prêmios que ganhou em concursos de literatura, se tem obras publicadas de forma independente, etc. Caso sua profissão lhe dê maior credibilidade para escrever um livro, também poderá mencioná-la. Mas, se por acaso achar que sua pequena biografia literária não é charmosa o suficiente para atrair a atenção de quem estiver avaliando seu livro, neste caso, seria melhor deixar a biografia de lado;
  • Nunca diga: que seus amigos amam seu trabalho, que seus familiares disseram que você deveria publicar um livro (sério que mamãe gostou?), que será um best-seller tão somente alguém lhe dê uma oportunidade, etc, etc, etc. Também não mencione eventuais rejeições anteriores da parte de outras editoras.

Seja Organizado

Você pode manter uma planilha com o nome das editoras e a data de envio das suas obras. Poderá incluir também a data da resposta. (Lembre-se que algumas editoras não respondem, em caso de rejeição da obra). Assim, será mais fácil manter-se organizado.

A planilha pode ser algo bem simples, como mostrado abaixo:

Publicar livro

Prepare-se Para a Rejeição

Por favor, sem choradeiras e mimimis. Ser rejeitado por editoras é algo que muitos mestres da literatura já tiveram de enfrentar. Acredito que até seja bom. A rejeição faz com que nos convençamos de nossas limitações, que não nos achemos “o tal”, e que sempre há campo para melhora. Procure encarar respostas negativas como encorajamento.

O que fará a diferença é sua disposição em continuar aprendendo e melhorando, e a persistência em continuar tentando. Nunca desista. Pense e acredite no seguinte: a cada “não” que você recebe, você dá mais um passo em direção ao “sim”.

Livros Difíceis de Serem Publicados

Quando se é um novo autor, desconhecido, sem ser uma autoridade em qualquer campo, a tarefa para conseguir publicar um livro é bem mais difícil. No entanto, alguns livros, devido suas características, tornam a tarefa ainda mais complicada.

O que faz com que um livro não desperte o interesse das editoras, sendo mais difícil publicá-lo?

  • Livros que excedem 100 mil palavras;
  • Poemas;
  • Livros de não-ficção, quando o autor não possui experiência ou autoridade em seu campo de atuação;
  • Memórias e biografias.

Em todos os casos acima, me refiro a pessoas desconhecidas, que nunca publicaram um livro.

NOTA: Algumas editoras não recebem originais para avaliação diretamente dos autores. Nestes casos, elas recomendam que se procure uma Agência Literária para representar o autor no mercado editorial. As Agências são intermediárias para a apresentação de originais às Editoras e, em muitos casos, este é o melhor caminho para viabilizar a publicação de seu livro.

Voltar ao Índice

Publicação Independente

Jovens autores ainda podem tentar o caminho da produção independente. Não se trata de um método fácil. Existem barreiras e desvantagens que você precisa conhecer. A principal delas é a questão financeira. Neste formato de produção, o autor independente paga pelas cópias impressas, e depois tem a tarefa de vender o livro para outras pessoas.

Algumas editoras oferecem diversos tipos de serviço nesta área. Apenas tenha o cuidado de não ceder a tentação e fazer uma tiragem muito grande. Talvez, em um primeiro momento, 100 cópias seja mais do que o suficiente.

Há ainda as editoras que imprimem por demanda. Neste processo, a editore imprime somente a quantidade de livros necessários, a medida que foram sendo solicitados pelo próprio autor ou outros interessados. A desvantagem desta opção é que cada cópia acaba saindo bem mais cara.

Um exemplo de editora para publicação independente é a AllPrint.

Publicar é Bom, Escrever é Melhor

Embora publicar um livro seja o alvo da vasta maioria dos jovens autores, meu conselho é que você se concentre em escrever. Com a habilidade adquirida naturalmente neste processo, será mais fácil ter seus livros publicados, posteriormente.

Voltar ao Índice

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

7 Comments

  1. Muito bom! Estou prestes a contactar uma editora.
    Obrigado.

  2. Olá Juliano.
    Parabéns este texto de Como Publicar Um Livro ,foi de mais gostei muito mesmo.
    Posso copiar este texto com seu nome e postar no meu grupo de apoio ao escritor?
    Te desejo cada vez mais sucesso para você.
    Maria José

    • Juliano Martinz

      19 julho, 2016 at 17:34

      Olá Maria José… Claro, fique a vontade em divulgar este texto em qualquer uma de suas plataformas.
      Abraços

  3. Oi Juliano,

    Dicas valiosas. Estou ainda amadurecendo a ideia de tornar-me escritora profissional. É um sonho muito antigo que ainda não realizei. Sou muito bem sucedida em uma outra profissão, porém, sei que falta algo, falta a emoção verdadeira de construir algo. A vontade de escrever de criar, de ser dona do destino da história, de comandar o futuro… Enfim, estou colhendo informações e acima de tudo lendo e relendo tudo que está ligado ao que gostaria de desenvolver.

    Na sua opinião existe idade certa para se começar?

    Abraços e obrigada pelas dicas.

    • Juliano Martinz

      23 julho, 2016 at 22:06

      A idade certa para começar é aquela onde exalamos o desejo de criar, quando as ideias se reviram em nosso íntimo, loucas para escapar, ganhar seu espaço, vida própria.
      A sensação de criar uma história, tal qual mencionou, está perfeita. É sublime a sensação de criar e controlar estes “universos paralelos”. Ainda mais ao saber que serão capazes de inspirar tantos leitores.
      Alimente este seu desejo. E que em breve, muito em breve, você possa se tornar a dona e comandante de uma nova e intensa história.

      Abraços e obrigado pela visita.

  4. valéria rodrigues

    7 outubro, 2016 at 11:43

    olá, bom dia!
    comecei a escrever uma biografia própria, verídica, direcionada à educação nas séries inicias. Sou professora, estou com dificuldade para dar o título.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑