Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

COMO CRIAR UM PERSONAGEM

Dicas Para Escrever Um Livro – Como Criar Uma Personagem

Como Criar um Personagem

Foto de Takis Kolokotronis

Quando se deparam com a questão de como escrever um livro, jovens escritores focam a trama como sendo o principal pilar da história. No entanto, é preciso ter em mente que personagens fortes sustentam este pilar – personagens toscos e vazios fazem toda a trama oscilar, e podem levar ao chão tudo o que foi construído. Nessas horas, é pane no sistema! E a pergunta que exige imediata atenção: Como criar uma personagem?

Construir personagens do zero pode parecer um processo automático para alguns. Às vezes, até é. Mas geralmente exige doses de concentração e organização – até para evitar contradições ao longo da trama. Em alguns casos, o nascimento e crescimento de uma personagem pode ser tão dolorido quanto um parto real. Especialmente para estes autores de literatura que socam pregos na hora de parir seus heróis e vilões, fica a dica: um pouco de disciplina e ordem para cruzar a linha final.

Quais características especificar no momento crucial de criar personagens? A primeira coisa que talvez pense são em características como aparência física, idade, roupas, e afins. Sinceramente? Isto é a superficialidade do superficial. A não ser que esteja fazendo quadrinhos. Do contrário, deixe este tipo de informação para o final. Realmente, é pouco provável que o fato do personagem ser alto e forte fará alguma diferença no contexto da história. O que vai tornear todo o enredo está no fundo, bem lá no fundo. É preciso cavar. Mostre suas unhas e garras, e cave o quanto puder. Não desista até perceber a cor e o cheiro de todas as características boas e pútridas florescendo das entranhas de quem você está tendo a honra de criar.

Assim, faça um trabalho organizado. Não confie na sua massa encefálica (na minha, etiquetei: traidora). Bote tudo no papel. Características do personagem. Nada de falar da insinuância dos olhos dele, ou das pernas arrasadoras que ela tem. Você precisa definir primeiramente qualidades,  temperamento, medos e traumas, e por aí vai.

Assim, ao invés de tão-somente se perguntar: “Como criar uma personagem?”, procure responder às seguintes questões.

Objetivos

Quais são os objetivos de sua personagem? Os principais, aquilo que lhe dá a direção a seguir. Objetivos que são capazes de lhe arrancar o sono a noite, e que conduz suas ações durante o dia. Não um alvo corriqueiro, como comprar um presente ou tirar férias, mas algo que faz o sangue dele correr desesperado pelas veias.

Que obstáculos enfrentará para conseguir atingir seus objetivos? Pode ser algo interno, como um trauma, uma limitação física, mental ou emocional. Ou fatores externos, como a natureza de como as coisas são, bem como a ação de um antagonista.

O que ela está disposta a sacrificar por este objetivo? Talvez nem mesmo ela saiba, até ser colocada face a face com a dura decisão. Pode ser que na ânsia de atingir seu alvo, a personagem se veja em uma ladeira, cruzando cegamente as linhas da moral que jamais imaginou atravessar. Não pense apenas em coisas físicas como: ela está disposta a perder o emprego por seu objetivo. Mas pense também em questões morais.

Defeitos

Quais são os defeitos de suas personagens? Não importa quão bonzinho seus heróis sejam, eles não são perfeitos. Coloque no papel seus defeitos, seus traumas, e lembranças que talvez ela prefere manter ocultas.

Na hora de criar seus vilões, pense em boas qualidades, primeiramente. Bons vilões tem excelentes qualidades, mas acabaram sendo vencidos por suas falhas. E muitas vezes permitem que sua nobreza seja transmutada em odiosas tendências.

Medos

Quais são os medos das suas personagens? Por maior que seja sua bravura, o que é capaz de lhe tirar a coragem, e fazê-lo tremer como um covarde?

Tudo isto tendo sido feito, interligue todas estas características, fazendo com que uma dê sentido a outra. Depois disto, talvez queira determinar se ela é loira ou morena, se é comum ou um monumento capaz de interromper as mais sérias conversas.

Será que minha massa encefálica, a traidora, me fez esquecer de algum detalhe?

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

33 Comments

  1. Juliano…
    nem imagina o quanto preciso e hora exata vem esta sua ajuda.
    Estou a passar exactamente por algo enquadrado nestas dificuldades.
    O primeiro livro.
    Os ossos estao criados como estrutura.
    Falta desenvolver a carne, que os preenche.
    Boa ajuda, sem duvida.

  2. Ffernanda Melles

    18 janeiro, 2012 at 16:16

    Gosto muito das suas dicas para escrever, embora não seja escritora e sim leitora, estou cansada de livros onde os personagens são vazios, aparecem do nada, não tem família, história, traumas, deslizes, chegam e vão sem que eu os conheça, gosto de livros onde vou descobrindo as camadas de cada personagem, os porquês de suas atitudes
    Quem sabe com essas dicas teremos novos autores brasileiros com bons livros

  3. Juliano,
    excelente ajuda para os escritores – os de direito e de fato – e os que ainda não tiveram “coragem” de aventurar nesse terreno escorregadio das palavras. O foco na delineação dos personagens me parece mesmo um bom caminho. Interessante é que compondo o personagem, você já antevê o que ele é capaz de tramar…

  4. Marcelo Tomé

    15 maio, 2012 at 18:12

    Legal, curti estas dicas, mas gostaria de fazer uma ressalva, quando faz um comparativo entre quadrinhos e superficialidade acho que pode ter se precipitado, afinal, quando pensamos num personagem como o Coringa, o que acha que o autor pensou primeiro, na imagem ou no personagem? Quanto ao Super Homem, no personagem ou na imagem? E o Batmam? Percebe que essa ordem pode ser meramente de ordem técnica? acho que o criador deve verificar o que melhor funciona para ele e colocar em prática com organização, tal como você mencionou, pois as vezes a inspiração vem de uma imagem, imagine um cavaleiro, roupas pretas com uma enorme cruz branca, com uma espada de cabo também negro e lamina extremamente reluzente… isso é a descrição de uma imagem, pesquisem a respeito e tentem descobrir em qual contesto esse personagem se encaixa, a partir deste conceito procure determinar se ele é bom ou mal, que tipo de pessoa ele é, mas a alegoria o mote, ou norte é a imagem…
    Pode-se fazer muito com uma imagem, mesmo que superficial.

    Para quem tem curiosidade em saber se quadrinhos é ou não infantilidade (uma industria de milhoes movida e alimentada por gente grande), recomento que leia Will Eisner “Quadrinhos e Arte Sequencial”.

    Por fim, tenham em mente o seguinte, um personagem de literatura, em geral, nunca daria um personagem de HQ, já o personagem de HQ dá um personagem de literatura…

    Pensem nisso, inspirem-se e criem.

    espero que nada disso tenha soado ofensivo, mas desde já peço desculpas.

    Abraço.

    • Prezado, não me tome como um ser dono da verdade, mas esse seu ultimo comentário dizendo que um personagem de literatura Nâo pode virar um personagem de quadrinhos não diz toda a verdade. Vejamos, quem lia EBAL, vinha muitos “livros’ em forma de quadrinhos. Me lembro bem de O Conde de Monte Cristo, que primeiro foi livro, de Alexandre Dumas, depois virou quadrinho, e então foi ao cinema. Adaptações os autores e desenhistas é que devem desenvolver. Mas temos excelentes personagens da literatura que poderiam dar excelentes personagens de quadrinhos como por exemplo o inspetor Magret, ou mesmo o Mago de óculos, Harry Potter, nos quadrinhos seria muito divertido. Temos várias e boas adaptações de livros em quadrinhos, é só dar uma boa olhada que a gente acaba achando. Mas enfim. Eu adoro quadrinhos, aprendi a ler com eles. Mas hoje eles estão só na minha memória.

  5. Eliana Miranda

    9 novembro, 2012 at 14:12

    Juliano.
    Muito bom… Estou a fazer meu primeiro livro.
    Preciso de uma orientação mais especifica. Sou jornalista e gostaria de fazer um livro de causos.
    Me ajuda!

    • Juliano Martinz

      10 novembro, 2012 at 12:23

      Obrigado pelo comentário, Eliana.
      Este livro que está pensando em escrever, pelo que entendi, não um romance, certo? Seria um livro de contos? Qual a sua maior dificuldade?

      Abraços

  6. Juliano valeu. Suas dicas tem me ajudado a dormir à noite, estou iniciando como escritor e aconteceu um grande problema, estou esboçando dois livros ao mesmo tempo, e pior sobre assuntos totalmente diferentes, não estou conseguindo me focar exclusivamente em um, quando estou escrevendo um tenho ideias para o outro e vice-versa, se tiveres uma dica para me ajudar agradeço.
    Abraço

    • Juliano Martinz

      13 março, 2013 at 15:45

      Uma dica importante Alexander: mantenha o foco. Mergulhe de cabeça, dê tudo de si. Mas escreva apenas um livro de cada vez.

      Obrigado pela visita

      Abraços

  7. Antoane Fernandes

    21 maio, 2013 at 13:08

    Olá, estou começando a escrever um livro, digamos que é uma autobiografia um pouco diferente, com um pouco de ficção.Eu imaginei que o tema, ou melhor, o caso pelo que passei, que seria um câncer, seria um pouco monótono e chato.Vamos dizer que seria um livro “baseado em fatos reais”.
    A minha complicação no momento seria como “batizar” meus personagens.
    Vocês poderiam me ajudar?
    Obrigado!!

  8. Fellype Spencer Crowe

    27 maio, 2013 at 17:15

    Muchas Gracias,las dicas son mui valiosas,ahora yo sei que nada es impossibe voi cercar mi libro

  9. Escreveeri de um jeito ou de outro, Mas com certeza com vossa ajuda alcançarei meu objetivo com mais clareza e aproveitamento. Agradeço por vós e espero ser aceito a ajuda que propõem.
    Só assim sei que minha craitividade aflorar.
    Obrigado!
    Luis Abreu

  10. Rosane Tavares

    20 julho, 2013 at 09:34

    Oi Fiquei feliz ao conhecer sua dicas. Gosto de ler e escrever, e tenho vontade de escreverum livro infantil sobre uma menininha de cinco anos que conheço desde bebê. A história seria sobre uma linda e mimada menina que é muito vaidosa,ciumenta , mas sua caracteristica principal é que fala desde de que acorda até a hora de dormir. Será que você pode me dar alguma dica de como iniciar a montagem desta personagem?fico agradecida por seu desprendimento em nos dar tantas dicas. aguardo sua resposta, pois essa criança é real. Um abraço e mito sucessopra você.

  11. Boom,muito obrigada por todas essas dicas,estão me ajudando muito.
    Estou começando a fazer meu primeiro livro de ficção. . . =]
    Sucesso pra vocês espero que o site cresça mais e mais .

  12. Isto me ajudou bastante a criar personagems para livros e quadrinhos ,tenho apenas 12 anos e estou escrevendo um livro adorei está enquete sobre como criar personagems faleu muito obrigado.

  13. Valeu mesmo..nao sabe o quanto ajudou, ainda mais pra quem quer contar a vida de anjos..ficçao pura por aíí..!

  14. Tácia Dominique

    25 setembro, 2013 at 15:15

    Já comecei vários livros, mas sempre paro no meio porque, ou me perco em meus próprios enigmas ou não acho um final decente, estou com vários trabalhos inacabados, em gênero de ficção.

  15. acho que é por não encontrar um bom final porque eu estou na mesma situação

  16. Otimas dicas. Estou escrevendo um livro, mas nao estou conseguindo desenrolar o dialogo. Vcs podem me dar umas dicas?
    Abracos*

    • Juliano Martinz

      16 outubro, 2013 at 22:47

      Olá Erica,
      Um material sobre isso está sendo preparado abrangendo várias dúvidas, inclusive sobre a criação de diálogos. Em breve, darei mais detalhes.

      Abraços!

  17. ola meu nome e Luan eu quero fazer um livro de mitologias e ficção mas eu não sei desenhar e nem inventar um personagem
    o que eu posso fazer?

  18. eu nao tenho criatividade para criar um personagem e nem programas de pc para isso.
    oque eu posso fazer?

  19. Olá! Primeiramente, queria dizer que adorei seu texto – assim como vários outros. Estou escrevendo um livro, mas ainda tenho muitas dúvidas em relação a ele. Como decidi escrever na primeira pessoa, acho que a construção do protagonista (o que estará vivenciando os acontecimentos) é muito importante. Gostaria que o mesmo tivesse uma personalidade forte, fosse irônico, corajoso e determinado. Mas, ao mesmo tempo, penso na possibilidade de isso atrapalhar a história. Pois, caso o leitor não se identifique com o protagonista, ele pode não gostar de ler o livro. Na sua opinião, o que eu deveria fazer? Criar um personagem cheio de personalidade ou um bem “sem sal”, para que todos se identifiquem um pouco?
    Obrigada pela atenção, um abraço!

    • Juliano Martinz

      15 novembro, 2013 at 12:06

      Embora existam notórias exceções, de modo geral, os leitores gostam de ser transportados para um mundo de fantasias ao ler seus livros. Isto inclui vivenciar personagens que realizam coisas que eles, os leitores, sempre sonharam em fazer, mas nunca fizeram (por falta de coragem, oportunidade, ou algo relacionado). Isto não significa, por exemplo, transformar um herói em alguém sem qualquer defeito ou ponto fraco. É muito bom “humanizar” as personagens para criar uma identificação maior com os leitores. No entanto, as personagens precisam ter um elemento a mais, uma força maior, para que se tornem a “realização” dos sonhos das pessoas que lerem seus livros.

  20. Estou adorando as dicas, está começando a abrir minha mente, um turbilhão de coisas.

  21. Estou iniciando como escritor espero poder contar com sua valiosa ajuda obrigado.

  22. Júnior Ferreira

    20 junho, 2014 at 16:32

    Muito bom me ajudou muito mesmo’ conto com novidades..

  23. Olá novamente!

    Estou criando um genero ficção.
    Como muitos iniciantes, imagino.

    Eu estava escrevendo meu personagem se olhando no espelho, e lembrei deste post de vocês.

    Desculpe o incomodo :)

    “Me olho no espelho, arrumando minha roupa e, por um pequeno momento, fico me observando.
    O cabelo, branco natural, mal penteado para tras como um daqueles riquinhos ingleses, ou como os cabelos de asgardiano até, deixam o rosto do homem no espelho um pouco mais amigável. Abaixo dos olhos, olheiras começam a se formar, fruto de uma noite mal dormida, como muitas. Mas isso pouco importa; são marcas invisíveis se comparadas as marcas na pele do sujeito que me encaro com um rosto sempre sério atraves do espelho. Duas faixas finas descem pelas bochechas, caindo pelo pescoço, como duas presas de um mamute. Roxo. As marcas descem pelo corpo, como marcas de tribos indigenas, como se fossem escritas em algum idioma há muito esquecido. As marcas roxas tomam todo o lado esquerdo do meu corpo.
    Por impulso, abro o ziper da jaqueta e tres botões da blusa por baixo dela, revelando no corpo do reflexo as marcas tão misteriosas.
    O corpo não é forte; mas está longe de ser esguio. O homem tem boas feições mas as amarguras e dores sofridas parecem gravadas nas linhas da testa franzida.
    Fecho a blusa e a jaqueta e coloco os braceletes, pegando minha fiel amiga sobre a mesa ao lado do espelho. Minha espada.
    Ryxt.
    O Apologe adormecido.
    Quando dou as costas para o reflexo, uma voz me chama; uma voz que tenho escutado muito há algum tempo. Meus olhos roxos se encontram com os olhos do homem no espelho, que agora ri.
    Ele ri.
    ELE ri.
    Fecho os olhos e sacudo a cabeça, abrindo-os novamente logo em seguida.
    Ele está serio de novo.
    Como sempre.
    Ele sou eu de novo.”

  24. Juliano obrigada pelas dicas .minha personagem principal demorou 12 para ficar pronta .eu usava ela para entrar em todos os universos que eram impostos a mim

  25. Olá Juliano.
    Foi com imenso prazer que li algumas das suas dicas, vieram ao encontro do que eu imaginava só que em pormenor. Espero mesmo conseguir escrever sobre mim. Estou contando uma história de vida da Milú.
    Espero mesmo conseguir, pois vai ser a segunda tentativa, porque da primeira, bem, um maldito vírus entrou no meu PC e destruiu-me tudinho o que havia no computador, apenas ficaram algumas coisitas que estão mo meu blogue!
    Um obrigado aqui de Portugal!

  26. Cleide Marli Ricardo

    21 fevereiro, 2015 at 16:25

    Boa tarde!
    Preciso de orientação pois estou iniciando meu livro que tem como objetivo motivação para alcançar seus objetivos. Sofri diversos obstáculos mais hoje sou uma vencedora realizei meus sonhos só que estou com duvidas sobre como iniciar podes me dar umas dicas. Obrigado pela atenção fico no aguardo.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑