Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

CONDENSA ESPERANÇA

A seiva de tua voz

Colhe pele, corre peito

Um céu suspenso e refeito

Derramando esperanças com teu nome

Forma ganhos, ganha forma

Ganha plástica um céu de anil

Teu sorriso estendido

Sua o beijo, beija o riso

Enxerga o rímel

Ouve o brinco

Suaviza o delírio

Me repassa em pente fino

Canta sono, estanca crivo

E forma sonho do desatino

És raiar do sol em menina

O doce som em minha sina.

Condensa esperança

Foto: Andrea Kratzenberg


 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

2 Comments

  1. eu vim aqui agradecer a visita poética e juro que sentei,fiquei,reli,andei por diversas páginas e quando dei por mim as horas já eram tantas.

    Vou ali,cuidar da vida.
    Mas,volto.
    Lindo tudo,por aqui

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑