Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

SER VOCÊ

Quando passei em frente ao teu quarto, ouvi você chorando. Parecia um sussurro. Um pedido de socorro. Como  se tivesse percebido minha presença. Como se pudesse ouvir meus passos lentos se arrastando pelo chão tão empoeirado. Como se eu pudesse fazer algo por você.

Eu estava por aí, tentando te  encontrar em outros rostos. Uma face. Um sorriso. Tua boca nos meus lábios.  Teus cílios ritmando meu piscar. Como se fosse possível unir as faces numa só. Uma só face. Fácies. Fácil.

Ser Você - Crônicas Pequenas

Quando acordei, estava no meio do nada. E do nada, achei que podia te ver. Te completar. Te conceber. Como  se fosse possível te enxergar no meio da solidão, no meio da noite, no meio de mim. Parece tão simples quando a gente desenha tudo no papel. A gente apaga aquilo que tem medo. Alinha o desarranjo. Combina terra e céu.

Quando passei em frente ao teu quarto, ouvi você chorando. E eu também chorei. Como se eu pudesse sentir sua intensidade. Como se eu pudesse sentir a sua falta.

Como se eu pudesse ser você.

2 Comments

  1. como se fosse uma empatia perdida, desalinhada…

  2. Amanda Carvalho

    19 outubro, 2010 at 09:42

    Perfeito. No sentido literal da palavra.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑