Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Sobre o Autor

Para definir meu trabalho, preciso primeiramente saber quem é você. Se você é um amante da literatura, me apresento como escritor. Se é um empresário, sou um redator publicitário. Se tem uma grande história de vida que gostaria de compartilhar com outros, sou um biógrafo.

Juliano Martinz

Criador e autor da Literatura Corrosiva

O osso acima dos meus olhos chama-se frontal. A camada enrugada e cansada que o reveste, pele. O objeto de sua proteção chama-se cérebro. Este, resguardado, produz aquilo que me cansa e extenua, dia após dia: minhas ideias.

29 Comments

  1. De inteligência e criatividade incomparável!
    Meu escritor favorito transborda talento.

  2. Um eterno: huuuummm pra vc, cher ;)

  3. Sobre o autor podemos dizer que é inteligente, interessante… intrigante!

  4. Dandara Costa Souto

    28 janeiro, 2012 at 10:33

    MUNDOGIRAMUNDO, de tanto girar acabei caindo aqui! Feliz por saber que não girou em vão e trouxe um ser pensante fantasticamente delicioso, desses que a gente sente um prazer incomensurável ao correr os olhos nas suas linhas escritas e volvidas!
    MUNDOGIRAMUNDO o meu muito obrigada!
    Beijos massalados e abraços apertados com sabor de Pequi(do meu Cerrado/Goiás/Brasil).

  5. Rogerio Souza

    8 julho, 2013 at 07:47

    Fico orgulhoso por vc ter aprendido com perfeição tudo que te ensinei…rsrsrsrs

  6. VALDELINO GONCALVES NASCIMENTO

    22 agosto, 2013 at 13:58

    Meu caro Amigo escritor Juliano Martinez;
    estou extremamente agradecido por sua valiosa contribuição para a minha iniciativa, Ao decidir em me tornar em um dos mais novo e humilde escritor deste Pais chamado Brasil, receba os meus mais profundo respeito, e a minha humilde e simples amizade, considerarei sua observação a este singelo agradecimento como alto estimulo ou encorajamento para um pequeno tímido iniciante, meu muito Obrigado Subscrevo; Valdelino G. Nascimento.

  7. Preciso de ajuda para escrever minha auto biografia.
    Abraço!

  8. Olá, eu tenho uma ideia de um livro na cabeça, começo, meio e fim, na verdade ele todo, cada personagem.. tudo…Mandei o resumo de 57 páginas para várias editoras, algumas responderam, entre elas a Rocco. Gostaria de entrar em parceria com alguém que soubesse escrever bem, a história é bem pessoal e fantasiosa, mas eu não consigo escreve-la, parece a coisa mais difícil do mundo pra mim, gostaria de arrumar alguém que pudesse entrar em parceria comigo para escrever.

    • anderson malta da silva

      2 outubro, 2013 at 10:09

      Camila bom dia! acho que podemos conversar, pois exatamente uma especialidade minha é “captar” idéia, “extrair” a essência, “adotar”, sugerir, propor, criticar, levar um texto ao formato final desejado. Faço isso no meu trabalho a 20 anos. Em oportunidades variadas, colaborei em projetos, estudos, pareceres, crônicas, poesias, tenho significativo sucesso, bem como as pessoas para as quais prestei apoio… Entre em contato, podemos trocar textos… Grande abraço, anderson

  9. Por onde andará meu escritor favorito? Esqueceu-se de nós, simples mortais?

  10. Parabens pelo seu blog! Adorei! Dicas muito boas e voce escreve muito bem.

  11. Graziela Ferreira

    10 janeiro, 2014 at 17:14

    Oi Juliano, eu não sei se você chegará a me responder esse comentário, mas não importa, o importante é você saber o que fez por mim.
    Meu sonho é ser escritora, ver um dia meu livro publicado, mesmo que ele talvez não seja um sucesso meteórico, será para mim uma realização inimaginável, vou saber que deixei minha marca no mundo e isso já me bastará.
    Bem, eu havia desistido desse sonho, conheci um escritor de contos pelo face que me prometeu ajuda, dicas, mas quando lhe mandei o primeiro capítulo do livro que estava escrevendo ele apenas me disse que não havia passado das 15 primeiras linhas, acho que pode imaginar que me senti péssima, um fracasso de marca maior, mas o que me frustou foi ele dizer que eu deveria começar como ele, escrevendo contos curtos, cartas, para que eu treinasse e só então me arriscasse a escrever o livro que eu tanto queria, mas o caso é eu não me identificava com contos curtos, não os que ele sugeriu que eu escrevesse. Eu tentei, tentei mesmo, mas o estilo não era o meu, a coisa simplesmente não funcionava e ele apenas me disse que eu estava querendo dar um passo maior do que as pernas e que jamais conseguiria dessa forma. Eu me desanimei muito, cheguei a dar razão a ele e, como disse, abandonei a escrita por um bom tempo. Mas o que fazemos quando abandonamos algo de que gostamos e sentimos que uma coisa importante está faltando em nossas vidas? Quando sentimos a necessidade quase vital de pegarmos uma caneta e colocar nossas ideias no papel, ou nos sentarmos em frente ao notebook e digitarmos até nossos dedos começarem a doer? Eu pesquisei, procurei na internet algo que me desse uma luz, uma forma de começar do jeito certo e… achei seu blog, li seus artigos e me vi em cada linha que você escreveu e, sim, talvez esse escritor estivesse certo em alguns pontos, mas na prática o que ele queria era me moldar a sua imagem e semelhança. O que eu amo ao pegar um livro para ler é justamente o fato de ele fugir totalmente à realidade que conheço e o que me inspira a escrever é justamente essa mesma sensação. E quem pode dizer que o que o fez não passar das 15 linhas foi o fato de eu apenas não corresponder aos ideais dele de escrita (ou talvez o que eu escrevi estivesse um lixo mesmo, eu sei!) ? Mas ler o que você postou aqui me fez acreditar que posso ser uma escritora tanto quanto ele, ou você, ou tantos outros escritores que conseguiram ter suas obras publicadas, que eu preciso acreditar no meu estilo e tentar aperfeiçoa-lo, mas nunca tentar modifica-lo, porque a coisa não funciona assim. Seguindo suas dicas estou me sentindo muito mais eu mesma, do que insistindo nos conselhos do “sr Dono da razão”.
    Portanto Juliano, grave meu nome, pois talvez um dia você entre numa livraria e encontre um livro com meu nome escrito (estou sendo perseverante como você aconselhou, heim!) e se isto acontecer, pode estufar o peito de orgulho, pois vai poder dizer que suas palavras me encorajaram a seguir em frente.
    Bom já deu pra notar que eu gosto mesmo de escrever né, eu começo e não quero parar mais e se lendo isso, você tiver alguma opinião sobre como escrevo e se sou boa nisso, eu agradeço qualquer opinião desde já. E mais uma vez, obrigada, continue dando uma luz à nós, jovens escritores.

    • Anderson malta da silva

      8 maio, 2014 at 15:27

      Graziela, escrever, ler, falar, dialogar são vias através das quais se desenvolve uma conversa. Nem todo mundo tem competência para a melhor conversa – aquela que é digna de ser propagada, por exemplo, num livro… O bom é que sendo competência, entendemos que é algo capaz de ser desenvolvido, cultivado, não necessariamente advém do DNA… O seu “interlocutor” – aquela “figura” que mal leu e opinou desmesuradamente, é fato que não possui competência para ler/escrever/dialogar… Mas, até aquela pessoa pode – desde que se abra e queira, aprender a ler e aprender como se dirigir a outra pessoa. Felizmente ele não foi o bastante ruim para tolher você definitivamente, pois mesmo magoada não abandonou a vontade necessária para se dedicar e desenvolver a competência da escrita que tanto deseja… O conselho que dou é que seja livre e aberta para tudo que realmente pode ensinar-lhe. Isso significa ler para conhecer exemplos, pesquisar para identificar técnicas, e praticar a escrita para adaptar exemplos e técnicas criando uma “zona de conforto” na qual se identifique e seja tranqüila para desenvolver suas “conversas”. Como é particular, sua zona de conforto pode ser escrever uma odisséia, pode ser escrever um pequenino “haikai”, não existe isso de “deveria começar como ele, escrevendo contos curtos, cartas, para que eu treinasse e só então me arriscasse a escrever o livro que eu tanto queria”… E não se atormente se ao final não tiveres produzido um livro, mas tiveres se divertido na jornada da aprendizagem…

    • Graziela, boa noite.
      Se me permite uma pequena sugestão: não aceite sugestões! (Coloquei exclamação, sim. E daí?) Descubra por você mesma o prazer de escrever. Não rotule coisa do tipo “gostaria de escrever um romance etc. Apenas e tão somente descubra o prazer de escrever. O resto vem por conta. Daqui a pouco você estará na metade do romance ou do conto ou da carta, sem perceber e se divertindo.
      Sou autodidata em Literatura, escrevo por instinto. Na verdade, a estória é que me encontra. raramente eu a procuro. E quanto ela chega por meio de uma frase do tipo “As Rosas são assim, aparecem de surpresa na ponta do nariz da gente. É o jeito delas de dizer que estão apaixonadas.” Esta frase deu um conto chamado ALGUMAS OBSERVAÇÕES NADA ACADÊMICAS SOBRE BOTÂNICA. Relaxe e deixe a estória encontrar você.

  12. Francisco Carlos Adriano

    20 abril, 2014 at 16:49

    A muito tempo venho alimentado a vontade de escrever um romance e busquei na internet algumas dicas. Encontrei estes maravilhosos artigos com dicas excelêntes. Sinto-me mais animado agora para continuar este projeto. Obrigado.

  13. Muito obrigado pelas dicas. Meus parabéns por saber aproveitar bem este dom…é uma grande motivação para quem pretende se iniciar neste mundo maravilhoso.

  14. Olá Juliano. Primeiramente quero te agradecer, eu descobri seu blog nesses últimos dias e você está me ajudando muito. Tenho 19 anos(20 no próximo mês,rs) e tenho um blog há um ano. Decidi fazê-lo após um término muito conturbado, aconselhada por amigo de longa data que já recebera muitas cartas minhas(já conhecia minha escrita). Eu acabei gostando de escrever e foi bem fazendo muito bem, me descobri na escrita. Mas eu nunca divulguei muito meu blog, como eram coisas pessoais, só esse amigo lia sempre. Hoje em dia eu decidi divulgá-lo, quando ele completou um ano e comecei a sonhar com um livro. Mas como comecei por necessidade de me expressar, entendo muito pouco e seus textos, seus conselhos tem me orientado e me dando forças pra persistir nesse sonho. Se você se interessar pelo blog, tiver um tempinho pra ler ao menos um texto, eu ficaria lisonjeada ^^
    Enfim, obrigada e parabéns, eu nem tenho capacidade de descrever como você escrever bem!
    Meu blog: http://claudiacomplicada.blogspot.com.br/

  15. Existe em tudo uma sintonia ou uma sinfonia da vida, através da qual cheguei até esse site. É impressionante como você escreve fácil para as pessoas. E mais ainda quando você compartilha sua arte com os outros, pessoas que querem escrever. Você descreve o caminho auxiliando-às como o fio de Ariadne que desvela o Labirinto. Que agradável momento se tornou este, degustar com os olhos da imaginação objetiva, os seus textos.
    Você inspira nas entrelinhas os desejos de todos em deixar palavras gravadas na memória da eternidade. E não se foge à regra dessa sensação, ninguém.
    Provoca, seus textos, uma vontade imensa de escrever. Você testemunha facilmente as palavras de uma arte dificílima. Algo emerge do mais profundo querendo se transformar em um texto para chegar até suas mãos e ter assim as suas críticas.
    Parabéns Juliano Martinz, você renovou em mim a certeza de que ainda há bons e excepcionais escritores no Brasil, não como os que ultimamente ocupam a cadeira na Academia que já foi ocupada pelos Ruis , Machados, joias únicas e raras da literatura.

  16. excelente. vou usar com meus aluninhos.

  17. Estou vendo comentários de cinco anos atrás.
    Me impressiona ainda não ter ouvido seu nome em uma conversa sobre grandes escritores.
    Só queria dizer que, por muito tempo, estive procurando um lugar onde pudesse buscar conselhos racionais sobre o processo de escrita de um livro.
    Pra resumir, a página inicial desse blog é, também, a página inicial do navegador que utilizo.
    Obrigado pela iniciativa. Te desejo sucesso!

  18. Maria Aparecida Neris

    9 março, 2015 at 10:45

    Sou professora de Língua Portuguesa, e estou trabalhando o conteúdo Crônicas.Amei as suas.
    Parabéns! Sucesso!!!

  19. Cara parabéns! sou graduando do curso de Letras e achei muito interessante os seus textos, mas sei que talvez seja meio que desagradável escrever sobre si mesmo, mas seria interessante você criar uma pequena biografia sobre si, resenharei um de seus textos. queria nessa resenha falar um pouco sobre você, mas aqui encontro poucas informações, espero que cries logo, logo um link biográfico, abraços….

  20. Amei o site! Sou uma escritora iniciante… Tudo que escrevi no passado joguei fora, achei que não ia servir. Mas, eu não tinha dado conta que o que eu estava vivendo era só uma passagem da adolescência para fase adulta e não precisava jogar fora meus desenhos, meus escritos e minhas idéias… Hoje estou começando a escrever novamente e parece que nunca fiz isso em minha vida… estou tendo muita dificuldade. Mas tudo bem, eu não vou desistir!

  21. Jheymisson Michael Pires

    19 maio, 2016 at 20:55

    F-a-n-t-á-s-t-i-c-o!
    Seus textos são geniais, porém escrita de entender e ensinar as mentes dos aspirantes de escritor conseguem ser ainda mais. Parabéns e que continue na luta!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑