Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

SEU IDIOTA FAVORITO

Você me contou como sempre fui seu idiota favorito
A criança de semblante estagnado
Um certo erro, um erro acertado
Uma lembrança a ser esquecida
Frases desconexas
Que jamais formam uma oração.

Pareceu-lhe mais fácil se apresentar em outros circos
E conquistar a escuridão de sonhos impossíveis
E cruéis desfechos
Palavras lhe soaram dispensáveis
Apelos lhe pareceram engraçados
Toda essa sina de bem cuidar
Cansou sua mente aventureira
E seu desejo de romper grilhões
E conhecer um mundo distante
Que não fosse tão covarde quanto o meu.

Hoje te vejo se arrastando
Por entre entulhos neste velho chão
Respirando a discórdia, se entorpecendo com solidão
Fitando as paredes brancas do seu quarto
Olhos vidrados, pequenos remorsos em coesão –
E será que valeu a pena negociar seus sonhos
Por uma alegria passageira
E fantasmas eternos?

E hoje, apenas te vejo tropeçando
Desajustada, neste mesmo velho chão
Chorando sangue, fazendo promessas, implorando migalhas
Acredito que o que perdi me perdeu
E o que me perdeu jamais poderia me fazer encontrar
A suavidade de novamente estar em pé
E ser para alguém que nem sei quem é
Mais uma vez, o seu idiota favorito.

1 Comment

  1. Esse eu já conhecia, e devo confessar que não gosto… Pq acho ofencivo… Não que me ofenda… Pq não é. É bem escrito, mas não gosto…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑