Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

VIDA LATEJANTE ENTRE COMÉDIAS E ARIDEZ

Ainda que os vasos criem limbo em meu peito
E as formas percam vidas
Musgos dominantes em papéis de parede
Vou te amar como em textos românticos
Com a mesma pureza e leveza
Com que teu sonho trouxe vida
A este peito decadente.

Ainda que esses céus se despedacem
Ainda que os semblantes ecoem medos
Sobre ruínas de sonhos jamais vividos
Vou te amar com a mesma intensidade
Com que transformaste meus segundos
Em eterna poesia…

Vida Latejante Entre Comédias e Aridez

1 Comment

  1. Que lindooo Ju!!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑