Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

POEMA E ÂNSIA PELA CIDADE

Poema sobre a busca de si mesmo na felicidade refletida em outros olhos

Poema Sobre a Felicidade Refletida em Outros Olhos

Que se me bastasse o frescor desta preciosidade

Que me batesse forte em minha pele teu coração

Sombra rotunda que me acompanha teus passos

Um laço que me ceifa vista olhos em céu

Brindar teu chegar como quem brinda o amanhecer

Amanhece teu ser em meu peito já tomado

Projeta boca e pele que me reveste ansiedade

Ânsia pelo só, ânsia pela cidade

Ressoando cílios em meus lábios já partidos

Compreendendo tragédias neste corpo entregue

Alegue teu céu esparramado em meus cílios

Apegue teus véus e me envolvam idílios

E me brinde a realidade que vier

Que dos vermes em meu peito

Que dos medos em teu leito

Me escondo jaz

E aqui posso me esconder

E a que posso te proteger.
 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

1 Comment

  1. Delonir Cavalheiro

    5 outubro, 2012 at 23:53

    muito profundo

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑