Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Em Um Relacionamento Sério

Love is in the air! SQN!

Alterou seu status de solteiro para “Em um relacionamento sério”. Viu aquilo? No canto da boca dele? Foi um sorriso. Sim, foi pequeno, eu sei. Discretíssimo, convenhamos. Mas estava ali.

Entre as andanças virtuais, Munhoz acabou se deparando com Gabriela. Ela tinha incríveis lábios carnudos, pele alva, e irresistíveis olhos amendoados – uma musa da literatura universal. Parecia ser da alta sociedade – as fotos denunciavam isso.

Provavelmente, era a garota que esperava pelo príncipe encantado: neste caso, um atraente e experiente homem de 35 anos, inteligente, sem vícios, e gerente de multinacional.

O problema era que Gabriela não tinha as melhores intenções. Na verdade, ela era líder de uma quadrilha que aplicava todo tipo de golpe. E entre as operações estava atrair e roubar homens ricos e solitários.

Gabriela estava no ramo havia 2 anos, e já aplicara o golpe mais de uma dezena de vezes. Adquirira uma poderosa habilidade em identificar traumas e dores das presas, e utilizava uma conversa macia para envolver os solitários.

E agora, após salivares conversas virtuais, intensas ligações telefônicas, decidiram se conhecer.

Encontraram-se em um restaurante famoso, onde Gabriela derramou todo seu charme entre fala suave, gestos cuidadosamente alinhados, as mãos arrumando os cabelos em intervalos regulares, sinalizando interesse romântico.

Munhoz estava boquiaberto. Parecia um jovem apaixonado. Gabriela podia ver a intensidade emocional do homem lampejando brilhos intensos em cada olhar. A presa estava no ponto.

Para isso, ela precisava que Munhoz a levasse para a casa dele. Depois, era só seguir o cronograma estabelecido e mantido nos últimos dois anos. Pediria mais uma taça de vinho e, enquanto ele estivesse desprevenido, despejaria uma dose cavalar de ansiolítico GHB em sua bebida. Após isso, teria horas a sua disposição para fazer uma limpa na casa de Munhoz: dinheiro, joias, cartões e aparelhos eletrônicos.

Por isso, Gabriela tinha pressa. A tensão pré-roubo mexia com suas emoções. Após o jantar e duas taças de vinho, disse:

– Vamos, querido?

– Para minha casa? – perguntou Munhoz, com um sorriso abobado.

Gabriela selecionou seu sorriso mais arrebatador e exclamou:

– Algo me diz que esta noite será longa.

No carro dele, Gabriela sentiu sono. Não se lembrava de ser tão fraca para bebidas. Decidiu tirar um cochilo durante o caminho até a casa de Munhoz. Acomodou-se no banco, e adormeceu.

___

No dia seguinte, Gabriela acordou… em sua cama. Não deveria estar na casa de Munhoz? Sua cabeça doía intensamente. Latejava como se facas vazassem seu cérebro. Estranho! O que acontecera? Olhou ao redor. Tudo estava fora do lugar. Tudo. Mas o que…?

Ela ainda precisaria de uns dois ou três minutos para perceber que Munhoz fizera uma limpa em sua casa.

___

Naquela mesma tarde, Munhoz apagou seu perfil. Criou um novo com o nome Alvarenga. Dias depois, ele alteraria seu status de “Solteiro” para “Em um relacionamento sério com Cristina”.

6 Comments

  1. Gabriela Claudino

    24 agosto, 2016 at 15:50

    Muito legal, inclusive pela minha xará Gabriela.
    Parabéns!

  2. Feitiço virou contra feiticeiro…Moçambique

  3. A crônica é muito legal

  4. muito bom cara! me tornei apaixonado por esse blog!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑