Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Declarações de Amor Inusitadas

Se o amor já era complicado, os criativos fizeram questão de torná-lo um emaranhado ainda mais complexo. Pelo menos, no tocante às declarações de amor.

Tais declarações costumavam ser mais simples e poéticas. Um anel, um pouco de suor frio e gagueira, e um “quero viver para sempre ao seu lado”. Era o suficiente para deixar a amada trêmula, com lágrimas teimando em aflorar dos olhos. E para que mais do que isso? Bom, mas isso costumava ser em outras eras, quando os dinossauros ainda rondavam soberanos por aí, quando a terra ainda era plana e sustentada por quatro elefantes.

Declarações de amor inusitadasEsta foi a triste constatação de Afrânio ao assistir às mais variadas e exuberantes declarações de amor, correndo o mundo pela internet. Vídeos no YouTube de apaixonados planejando e executando suas declarações de amor com estratagemas mirabolantes, planos surpreendentes de tirar o fôlego, o “eu te amo” reformado com criatividade, ousadia e superprodução.

Claro que Afrânio ficou desanimado. Seu amor por Florisbela era sincero, mas não havia residente em seu peito a coragem necessária para se declarar diante de mil pessoas, nem dinheiro para alugar um avião, e tampouco criatividade para elaborar um plano vistoso para surpreender a amada.

Pensou na possibilidade de agir como nos tempos dos dinossauros. Compraria um anel, levaria ela ao parque e diria que queria envelhecer ao seu lado. Mas Florisbela não era bela só no nome. Tinha um sorriso capaz de desestruturar até os mais céticos no amor. Achar que balançaria uma mulher daquelas com apenas um anel e uma declaração sincera era viver uma utopia, e assinar a própria rejeição.

Por isso, Afrânio achou que precisaria ousar, ou o próximo pretendente criativo conquistaria sua amada e o deixaria à deriva.

Assim, Afrânio encheu-se de coragem, apelou para o professor YouTube e resolveu copiar uma declaração de amor com superprodução, embora nada viável para o seu orçamento mendicante. Mas acabou dando um jeito: apelou para um vistoso empréstimo no banco, e conseguiu contratar uma orquestra, uma empresa para produzir faixas, outra para fazer uma chuva de pétalas de rosa, e uma terceira para organizar toda a bagunça e dar-lhe um caráter altamente profissional.

E chega o dia da execução, o nervosismo à flor da pele. Na saída da faculdade, tarde da noite, Florisbela foi surpreendida pela orquestra, pelas faixas, pela chuva de rosas, sob olhares de alguns amigos e muitos curiosos. Evidentemente, foi invadida pela surpresa, ceticismo, emoção, e outras expressões faciais que nem os mais íntimos seriam capazes de traduzir. Quando a orquestra parou de tocar a romântica melodia, Afrânio se aproximou e colocou-se de joelhos. Suspiros como que ensaiados reverberaram na plateia. Até que ele se declarou, palavras cuidadosamente escolhidas e copiadas da internet, claro.

O “sim” de Florisbela ecoou durante meses nos ouvidos de emocionado Afrânio, enquanto ele fazia os pouquíssimos preparativos para o casamento, visto que precisou simplificar o que já seria simples. Endividado até o pescoço e com o nome no Serasa, devendo para o banco e para diversas empresas, Afrânio precisou fazer um casamento tão simples quanto aqueles que eram realizados na época em que os dinossauros dominavam o planeta.

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

17 Comments

  1. Ah pobre Afrânio , se tivesse se concentrado só nesse anel, teria menos problemas: http://apaixonadosporjoias.com.br/index.php/tag/pink-dream/

  2. Como sempre! Espetáculo! Sou admirador da sua lavra.
    Abraço.
    Marco.

  3. Muito legal, gostei!

  4. Excelente. Sou admirador de seus escritos, mais uma vez……parabéns.

  5. e Florisbela nem sabia do desencanto que viria rsrs

  6. Boa tarde.

    Suas dicas são ótimas!
    descobri seu site pesquisando sobre como escrever um livro e aqui estou esclarecendo muitas dúvidas.

    Gostaria de saber o seguinte, se eu escrever um livro onde o personagem é brasileiro mais irá viver nos Estados Unidos por exemplo, o livro será em primeira pessoa, como faço com os personagens que teoricamente falariam em inglês? é claro que vou escrever em português, mais teria que escrever alguma coisa do tipo mostrando para o leitor que eles falavam em inglês?

    Agradeço muito se puder me responder

    • Juliano Martinz

      20 fevereiro, 2014 at 21:25

      Olá Ana Caroline,

      Muitos autores passam pela mesma situação que você. Neste caso, você pode utilizar algumas expressões em inglês que não interfiram diretamente no enredo. Por exemplo, poderá vez por outra utilizar expressões como “thanks”, “my man”, “dad”, etc. Mas sem exagero para não poluir a leitura.

      Obrigado pela visita.

  7. texto muito legal ……adorei

  8. haha, muito bom :D

  9. maria do socorro

    14 abril, 2014 at 11:13

    Gostaria que vc me desse algumas informações como devo iniciar um livro sobre minha história de vida.

  10. Gostei muito,
    Estou me informando sobre cronicas, tive a grata satisfação de ler a sua, parabéns.

  11. Descobri seu site em minhas pesquisas para começar a escrever um livro, já li tudo o que você escreveu por aqui e também os comentários que recebeu, adorei tudo, ri com alguns, vibrei com outros, mais sempre vejo e admiro sua competência em escrever e a paciência e o prazer que tem em responder, porém quando li este texto, amei a história e fiquei infeliz por ter acabado! Estou curioso pra ver a continuação, se puder me presentear com mais um capítulo do pobre Afrânio e da deslumbrada Florisbela, eu agradeceria, vendo da forma com que você escreve me acho tão fraco, ou talvez seja apenas um filhotinho, vou continuar lendo, lendo e lendo, já que é este seu primeiro ensinamento. Abraço – Eron

  12. Um grande amigo, me apresentou seu site, foi o maior e melhor PRESENTE que já ganhei. Estou deslumbrada com seus textos e com você. E pode ter certeza, estou desfrutando todos os dias de seus conhecimentos valiosos. Parabéns e um grande Abraço. Ieda Julia

  13. Adorei tudo! Muito inspirador!
    Obrigada!
    Parabéns e sucesso!
    Marta

  14. Coitado do Afrânio KKKKK

  15. Pra que faculdade ou ser criativo, depois do You Tube e do Google?
    Gostei da ideia, mais vale ser original, do que acabar no Serasa.
    Valeu!!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑