Como Vencer os “Brancos” (Bloqueios) ao Escrever

Ao escrever um romance, um artigo jornalístico, ou mesmo uma simples crônica ou poesia, você se depara com o famoso “branco”. Fantasmagórico, ele se coloca em sua frente com um sorriso cínico, impedindo-o de colocar no papel todos os seus pensamentos e sentimentos. É o bloqueio dos escritores. Uma súbita obstrução durante o processo de escrever.

Existem diversos meios para lidar com os bloqueios. Você notará que alguns complementam outros, e podem ser tentados em conjunto. Outros, por outro lado, até parecem se contradizer. Desta forma, veja qual é o melhor para ser colocado em prática de acordo com suas necessidades.

Mande Seu Inconsciente Pastar

Bloqueio de escritoresMuitos bloqueios acontecem por causa de uma voz no inconsciente nos dizendo que aquilo que estamos criando não é tão bom quanto deveria. Às vezes, somos pressionados pelo inconsciente para criarmos algo que possa acrescentar algo à humanidade. Um passo importante para se livrar desta obstrução é se conscientizar que você deve escrever não como uma forma de beneficiar o mundo, mas simplesmente porque acha isso divertido. Se por acaso a escrita acrescentar algo ao mundo, ótimo. Mas não se deixe levar pela ideia de que esta é a sua obrigação. Proponha-se simplesmente escrever e se divertir.

Escreva Qualquer Coisa

Um dos recursos para vencer os bloqueios é escrever. Ainda que seja uma bobagem capaz de lhe causar vergonha. Ou seja, pode ser algo tão tosco quanto: “A formiga sentiu vontade encarar um jato de discórdia. E de tanto querer, bateu um papo com a borboleta”. Se não quiser escrever algo tão estúpido, ao menos, tente descrever algo ao seu redor, ou quem sabe, o sonho da última noite. Deixe de lado a criatividade. Simplesmente, concentre-se em colocar as ferramentas nas mãos dos seus neurônios e dar a incisiva ordem: “Ao trabalho, cambada”.

Simplifique a Tarefa

Procure simplificar a tarefa da escrita. Ao invés de pensar no romance ou em um capítulo como um todo, pense apenas em um parágrafo. Se for abordado pelo “branco” ao escrever, reserve um dia inteiro para redigir apenas um parágrafo. Pense sobre ele. Medite. Esboce. Mark Twain disse uma vez que o segredo para começar a escrever, especialmente quando diante de bloqueios, é transformar tarefas esmagadoramente complexas em pequenas tarefas gerenciáveis. Em seguida, é preciso dar o passo adicional: começar.

Branco de escritores ao redigirem textos e artigos

Mude o Foco Narrativo

Escrever sobre a coisa errada também oferece uma imensa dificuldade para nossa criatividade. Se estiver produzindo um romance medieval, talvez seja hora de deixar isso de lado e produzir algo como um romance policial ou talvez um suspense. Varie seu foco narrativo. Pode ser que sua criatividade esteja simplesmente fazendo birra porque quer colocar para fora outras ideias.

Interrompa Quando Souber o Que Vem a Seguir

Esta é uma tática pouco usual, mas extremamente eficiente. Ao escrever seus textos, pare sempre que você souber o que vem logo a seguir. Não deixe para interromper sua escrita somente quando as ideias e a inspiração se esgotarem. Por que agir assim? Porque se parar em um momento em que sabe o que vem a seguir, no próximo dia, você não terá bloqueios ao iniciar o processo da escrita, visto que você já sabe sobre o que escrever. E quando começar a escrever, as ideias começarão a se desenrolar ao ponto de você reduzir as possibilidades do “branco”. Repita o processo todos os dias, e diminuirá consideravelmente seus bloqueios como escritor.

Escreva Para Alguém Próximo e Nada Crítico

Se enfrentar bloqueios ao escrever seus romances e artigos, esqueça seu público-alvo e seu editor. Escreva como se estivesse redigindo para alguém que lhe seja bastante próximo e que não seja exigente, nem crítico. Pode ser sua mãe, sua tia, seu vizinho. Imagine que somente esta pessoa irá ler seu texto. Para enganar seu inconsciente (olha o sacana aí de novo), pode até começar seus capítulos com: “Querida irmãzinha…” ou qualquer outra pessoa que tenha escolhido. Este recurso ajuda a tirar alguns quilos de peso de nossos ombros, tornando a escrita mais promissora e natural.

Conclusão

Os recursos para se livrar de bloqueios ao escrever um livro ou artigo são inúmeros. Há quem prefira ouvir uma música, fazer uma caminhada, comer chocolate ou ir a uma festa. Na maioria dos casos, é preciso abrir espaço para que a criatividade consiga se alongar e mostrar do que é capaz. E independentemente de quais sejam os métodos utilizados, todos eles precisam ser temperados com uma boa dose de paciência. Assim, não tenha medo e nem desanime diante dos seus bloqueios – você não está sozinho.

Se tiver algum método interessante para vencer os “brancos” durante a escrita, compartilhe nos comentários abaixo.

32 ideias sobre “Como Vencer os “Brancos” (Bloqueios) ao Escrever

  1. Marco Alzamora

    Uma Vontade Louca de Escrever
    Voltei correndo da rua para casa. Meu cérebro parecia querer explodir de tantas ideias, estuporando minha caixa craniana. Pensei estar exagerando no ímpeto. Muitos títulos vieram à tona. Com velocidade vertiginosa, meus neurônios (Tico e Teco) percorreram o exíguo espaço físico entre o núcleo e a crosta. Era o dito pelo não dito, bendito e maldito… Ditado… Dita dura… Dita mole… Escambau! Até dentadura veio visitar o centro da “moringa” (Cabeça… Para os que não conhecem gírias). Tinha que escrever logo. Sem coordenar minhas emoções e os meus dedos, comecei a teclar (Datilografar… Para os antigos). Antigamente eu datilografava 150 palavras por minuto. Agora consigo escrever 1500! Çalskhdfçoaiwefçalwebnf, mais ou menos assim! Sem respirar ou tirar o dedo do teclado. Escrevendo tudo sem dizer nada com nada.

    Responder
  2. Natália Ramos

    Bom, tenho 15 anos e desde nova sou muito apaixonada pela escrita, sempre amei as aulas de português, e estou começando um novo passo na minha vida [...] Meu sonho é escrever um livro, apesar de eu ser muito nova, e por, muitas vezes tenho brancos, e fico pensando e pensando, desde então tudo flui. Mas ainda eu acho que eu tenho de melhorar, tenho um blog que todos os textos são meus. Visitem e me digam o que acham.. http://diariodeumameninacrazy.blogspot.com.br/ ^^

    Responder
    1. susan

      eu obviamente estava no “” branco” quando de repente meu pai aparece, ele tinha descoberto, uma coisa q eu tinha aprontado. e estava bravo. nesse momento eu estava escrevendo, e eu fiquei com medo… depois revisando o que eu escrevi, percebi que eu tinha passado meu medo p o papel, deste dia em diante, eu ando aprontando bastante… (curioso nao?)

      Responder
  3. Marcela Rebeca

    Amei o post! De vez em quando ocorre o chamado branco comigo, mais compreendi a mensagem e vou tentar escrever as primeiras coisas que vir a minha mente! Assim fico mais a vontade para expressar meus pensamentos :)

    Responder
  4. Larissa

    Recentemente me veio uma vontade esmagadora de escrever um livro. Com essas dicas preciosas vou começar agora!!! A grande história do Brasil é o meu foco! E mãos à obra!!!! Obrigada!

    Responder
  5. Cicero Silva

    não sou muito literário, nunca gostei de ler livros, isso até ontem!, quando resolvi ficar em casa dois dias para descansar , fugir um pouco do cotidiano, um dia foi o suficiente para descansar, logo fiquei entediado, viciado em televisão, apesar de 180 canais, não tinha nenhum programa, filme que me agradasse, comecei a pensar sou muito cheio de ideias, vamos passar para o papel, quem sabe sai algo bom para que os outros apreciem.
    ajudem esse iniciante no meio literário.

    Responder
  6. Sussy

    Uma boa coisa que eu faço é escrever o livro como se fosse para eu mesma! Só em pensar sobre escrever um livro, seja para meu namorado, alguma amiga, algum familiar, qualquer pessoa, eu sinto vergonha ou acho que estou sendo “cobrada” a dar o melhor de mim. Por tanto costumo, mesmo sabendo que outros vão ler, escrever meu livro fingindo que o resto do mundo não existe. Que se ferrem eles, o importante é eu saber que o livro está bom, não eles!

    Responder
    1. Ana Paula

      Ótimo. Também faço isso. Toda vez q deixo alguém ler parte do meu livro me decepciono com os comentários. Agora não falo mais nada pra ninguém, quando ficar pronto eu mostro.

      Responder
  7. Renato

    Muito bom este site.
    Uma boa dica para desbloquear tirei de um curso de design gráfico voltado para publicidade, onde o autor deve escrever tudo que lhe vier à cabeça sobre o tema. Para um anúncio sobre sorvete, p. ex., escrevemos tudo: sorvete, taças, sorveteria, amigos, barulho, frio, etc e etc. Podem ser centenas de palavras, frases e fotos. Escrever à mão mesmo. Com isso, procuramos referências sobre o tema e sobre o que tínhamos escrito para tirar uma conclusão única e criativa.
    Fazendo uma comparação, pegue o tema do livro, p.ex., policial e escreva: polícia, algemas, delegacia, armas, etc, mais frases e fotos e depois procure referências a respeito.
    Espero que tenha ajudado.

    Responder
  8. Razeviche

    Que bom te descobrir por aqui ,e saber que compartilhamos mais uma coisa: a escritura.
    Não sou boa para escrever , mas amo ler .
    Até quarta-feira.
    Razeviche

    Responder
  9. Susy Mi Kwang

    Eu não tenho mais tantos brancos. Depois que comecei a fazer um “cronograma” com o que deve acontecer, me ajudou a ver o fim da obra. Acho que esse é um dos problemas, as vezes não imaginamos como vai terminar e isso nos bloqueia, porque não vemos o que virá no futuro quando começamos.

    Além disso, quando estou bloqueada, eu ouço música antiga (Whitney Houston, Elvis Presley…) e leio as traduções de suas letras, isso me ajuda a escrever muitas vezes.

    Depois disso, só me basta dizer que se você ler muitas histórias do mesmo tema isso te ajuda a fluir com sua inspiração, eu leio vários livros, sou viciada kkkk e talvez isso me ajude… eu não sei bem… só não consigo parar de produzir =O

    Responder
  10. Joania Arlene

    Desde pequena sempre fui muito apaixonada por livros e hoje aos 16 anos sinto uma vontade imensa de escrever o meu próprio… Sempre gostei muito de escrever e amo as aulas de Português e Literatura, viajo no mundo dos livros… Brancos são normais, todo escritor os enfrenta, mas o que vale mesmo é ser perseverante… Dando o primeiro passo e lutando para conseguir a vitória maior: A conclusão da página final!

    Responder
  11. Marcos vinicius

    Muito bom o post algumas horas lendo sobre inteligencia e dicas para escrever livros e minha cabeça esta cheia de ideias . Tenho 13 anos e quero escrever um livro pois acho q assim vou me sentir melhor por que desde pequeno eu tenho muitas ideias mas nunca as levei alem da minha cabeça :D

    Responder
    1. Juliano Martinz Autor do post

      Não deixe sua inspiração se esvair, Marcos. Coloque tudo no “papel” e tenho certeza de que não se arrependerá.

      Abraços

      Responder
  12. Leila

    Recentemente publiquei um livro, sem temor algum. Percebi que meus textos tinham um boa receptividade pelas pessoas que liam. Durante o processo percebi que muitas pessoas tinham medo de publicar o que tinham. Comecei a me questionar, será que fui muito ingênua? Será que deveria ter esperado um pouco mais para publicar? Por que afinal as pessoas temem tanto publicar o que escrevem? Essas dúvidas ainda me perseguem… Um abraço. Adorei as dicas…

    Responder
  13. Ingryd Lorrane

    Tenho 12 anos e minha paixão é a escrita , muitas vezes esse branco também acontece comigo . Meus melhores pensamentos vem no Romance e Suspense , Gostei muito das dicas , pois me ajudaram muito .

    Responder
  14. josy

    ola eu tenho 15 anos e tenho varias ideias para livros e artigos quando tenho um branco eu costumo escolher uma musica que tem tudo a ver com o que eu estou escrevendo e a escuto desse jeito a sua memoria volta ao trama e facilita muito para que venha novas ideias e temas eu não penso apenas no assunto abordado eu tenho a taica de pensar em algo talvez compatível ou totalmente diferente dessa forma eu consigo travar aquele temido bloqueio.
    abraços
    -josy

    Responder
  15. aline

    Ola.
    Eu sempre li e muito, desde de pequena sempre gostei de ler história, sabe sempre me imaginei dentro da histórias , adoro romances e suspense Agatha Christie é fascinante, mas hoje me tornei mais critica,sempre posso que posso melhorar um livro ou mesmo faze-lo melhor, estou louca para escrever um livro ,são muitas ideias mas ai penso que são tolas e desisto pois sei que as pessoas não vão se interessar, mas vou tentando quem sabe um dia escrevo algo útil !

    Responder
  16. Jessy

    Um belo dia acordei com vontade de escrever um livro, nunca fui muito boa em português aliás era a matéria que mais me saia mal, mas o que me inspirou foi um amigo ele acha que tenho potencial porém acho que não, aprendi a gostar da leitura li alguns livros mas nunca me imaginei escrevendo, será que isso da certo? Alguém que nunca achava que teria “dom” para a escrita conseguiria escrever um livro? Sou um pouco leiga nessa arte mas estou tentando me informar pois quero mesmo escrever esse livro estou com muitas ideias, cabeça borbulhando de emoções e historias, em fim é isso.

    Responder
  17. caine

    Eu sempre tive um pé pra escrita, não sou de ler muito… Más quando assisto um filme que me emociona eu entro dentro de mim num lugar que só nesses momentos eu entendo minhas emoções e as traduzo comparando com cheiros, objetos, sabores é como se quisesse muito que quem as possam ler sentisse o que eu estava sentindo naquele momento não sei explicar é muito forte… Ou quando ouço uma musica que me indentifico parece que dentro de mim se abre uma porta que só nesses momentos existe é muitoooo bom…

    Responder
  18. AURICELIA RODRIGUES

    quero contar uma historia de uma familia, uma longa historia, um grande romance,tragedia. na verdade não sei como colocar no papel. ja escrevi um livro uma vez mas joguei no lixo achei que não estava bom. mas agora quero escrever de novo.

    Responder
  19. Walkíria

    Eu não sou muito de português mas, quando eu tenho inspiração eu simplesmente eu escrevo , muitas vezes eu faço muito detalhes outras vezes quase não faço muitos detalhes .Eu simplesmente faço quanto bate a inspiração .

    Responder
  20. Isabelle M.

    Comecei a me interessar pela leitura aos meus 12 anos mais ou menos. Lembro-me de que antes disso, minha mãe sempre me incentivava a ler, mas eu estava “ocupada” brincando ou fazendo coisas que pré adolescentes faziam… Nenhum um pouco interessa na literatura.
    Isso, foi até quando eu comecei a ter que ler (obrigatoriamente) livros para as aulas de literatura em meu colégio. E foi aí que eu percebi que gostava de ler. Eu gostava de “entrar” em um “novo mundo”, gostava de deixar minha imaginação a solta, fugir da realidade por um tempinho.
    Meu primeiro livro que eu li por livre e espontânea vontade, aos 12 ou 13 anos, foi Crepúsculo. A partir daí comecei a escrever também. Ou pelo menos “tentar escrever” escrevi algumas fanfics aqui e alí, que pra quem não sabe, fanfics significa “ficção criada por fãs.”
    Eu criava a história, mas utilizava os personagens de Stephenie Meyer, (Autora da saga Crepúsculo). Acho que nem é preciso dizer que minhas fics foram “Um lixo”. A mente de uma menina de 13 anos não é lá muito madura, hahaha… Então, tempo depois quando li minhas fanfics, senti vergonha de mim mesma pelo enredo da história e minha escrita (acho que isso acontece com qualquer um).
    Parei de tentar escrever e decidi focar em minhas leituras, comprei mais e mais livros e a cada leitura finalizada, maior minha paixão por isso aumentava.
    Farei 16 anos em poucos meses e decidi que quero escrever, eu quero ser escritora quando crescer, mas sei que ainda tenho muito que aprender. Eu estou tento dificuldades em escrever, no entanto. As vezes fico triste ao pensar que talvez eu não tenha o dom, algumas pessoas nascem com dons. Uns de cantar, outros de desenhar, outros de escrever. Não sei se sou boa nisso, mas quero muito que seja.
    Tenho vários rascunhos de histórias, todos com os mesmos personagens, mas com enredos diferentes.
    Talvez eu tenha que começar do zero, criar personagens ou tentar mudar a minha narração. Talvez pra mim, seja melhor escrever na terceira pessoa, ao invés da primeira.
    Enfim… Quero aprender mais e esse blog me ajudou muito.
    Isso foi um texto grande! Haha
    Nem sei se vão ler isso, mas sei lá se alguem quiser conversar comigo, aí está meu email. :)

    Isabelle.
    isakjs@hotmail.com

    Responder
    1. Emanuelle

      Isabelle,oi eu.sou a Manu (n coloco todo o meu nome.por medo…sabe de me expor e so pra.constar é. Manu no sentido feminino)
      . Bom, eu comecei a pouco tempo tentar escrever um livro .O nome vem logo aqui: Imortalles,é imortal em latim, e por coincidência me baseei no livro Crepúsculo. de Stephanie. Meyer.A questão é que,claro eu fiz umas mudanças e em enfim não e sobre vampiros mas sobre a imortalidade a ideia foi que surgiu depois da.leitura.do tal livro eu tenho uns amigos da escola que dizem que ta muito legal e querem ler, e olha que escrevi so o começo , mas, sabe a vontade de que certo e até de que vire um best seller me consome muito az vezes penso em colocar na internet e então oque vcs e vc acha??

      Responder
  21. edwanya

    Quando viajo, encontro muitas perspectivas. Minha mente vai trabalhando, abordando diversos temas e assuntos. Nunca explorei isso. Mas, acontece sempre, talvez um dia eu resolva testar isso.

    Responder
  22. Robeta Rangel

    Olá, sou Roberta e adoro escrever. Escrevo bastante poesias e sonho em escrever um livro, mas como há muita coisa em minha cabeça, não sei por onde começar…quer dizer, não sabia, até pesquisar e chegar aqui. Li o texto e alguns dos comentários e não só o texto me ajudou bastante, como os comentários também. Farei bom proveito do que li aqui. Obrigada!

    Responder
  23. Rafael

    Bom galera, preciso muito de vocês, to perto de fazer um concurso onde a redação pode me classificar, e eu sou péssimo serar que alguem de vocês pode me ajudar.. Fico grato…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>