Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

OS ANTISSOCIAIS II

Os Antissociais

– E aí?

– E aí?

– Fazendo?

– Nada.

– Também.

– Vai sair?

– Nem. Cansado pra burro.

– O que fez?

– Ah, sei lá. Fiz nada, não.

– Então tá cansado do quê?

– Sei lá. Dessa paradeira, deve ser.

– Então por que não sai?

– Porque tô cansado.

– Então sai que descansa.

– Ninguém sai pra descansar.

– Então fica em casa, caramba.

– Pô, mas isso cansa pra burro.

– Cara, tu fala umas coisas nada a ver.

– Tipo…?

– Tá cansado, mas não fez nada.

– E isso não cansa?

– Então descansa.

– E o que tô fazendo?

– Então não reclama.

– Quem tá reclamando?

– Tá, deixa quieto.

– E você? Vai sair?

– Nem.

– Por que?

– Ah, você me cansou.

Crédito Foto: Bobbi Dombrowski

5 Comments

  1. Uau! Como se encaixou perfeitamente a situação do meu dia-a-dia.

  2. dionenora

    at

    Adorei!

  3. julianomartinz

    at

    Não tão original e lindo quanto seu comentário. Obrigado pela visita!

  4. Glória

    at

    Qualquer semelhança é mera coincidência….Incrível como esse poema traduz um papo que poderia ser de qualquer um de nós…”
    E, contudo, muito original. Lindo!

  5. Sonia Borges Cesario

    at

    putz, quase não escrevi de tão cansada…bomo, muito bom!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2020 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑