Quem foi William Shakespeare e por que ficou famoso?

William Shakespeare (1564-1616) foi um escritor, poeta e dramaturgo inglês. É conhecido como o poeta nacional da Inglaterra. Considerado um dos maiores gênios da literatura mundial. Ele nasceu em Stratford-upon-Avon, uma cidade inglesa do condado de Warwickshire.

As informações disponíveis sobre o dramaturgo não são muitas. Por esta razão, costuma-se dizer que a vida pessoal de Shakespeare está mergulhada em mistérios. Mas é possível destacar alguns eventos importantes para compor esta biografia de Shakespeare.

Seu pai, John, era um empresário local bem-sucedido, atuando no ramo da fabricação de luvas. Também alcançou importantes cargos políticos (vereador e prefeito). A mãe de William, Mary Arden, era filha de um rico proprietário de terras.

Portanto, William Shakespeare nasceu em um berço de ouro.

Shakespeare casou-se cedo. Ele tinha apenas 18 anos quando uniu-se a uma mulher mais velha chamada Anne Hathaway. Registros escassos mostram que após seu casamento, ele passou a maior parte do tempo em Londres, onde escreveu diversos dos seus textos literários.

Como poeta, Shakespeare escreveu diversos sonetos. A maioria deles, segundo registrado, foi escrito durante a década de 1590. Na verdade, este período foi muito fértil para o jovem dramaturgo.

Suas primeiras peças geravam muitos comentários, tornando-se famosas entre o grande público. A primeira delas, foi Henrique VI. Na verdade, a primeira parte, já que a segunda e terceira parte seriam escritas nos anos seguintes, mas ainda na década de 1590.

Uma grande parte de suas obras foi publicada e encenada enquanto em vida. Isto permitiu que Shakespeare pudesse sobreviver como escritor e dramaturgo.

Comprar Biografia Completa de William Shakespeare

William Shakespeare alcançou o sucesso como dramaturgo, ainda em vida.

No entanto, a fama não foi tão grande a ponto dos seus contemporâneos decidirem registrar todos os eventos de sua vida, enquanto ainda eram recentes.

Portanto, existem diversas lacunas na história de vida do dramaturgo inglês.

Porém, para responder à pergunta de como Shakespeare se tornou Shakespeare, o autor Stephen Greenblatt propõe uma interpretação original e inovadora da obra do dramaturgo.

O livro Como Shakespeare Se Tornou Shakespeare, da Companhia das Letras, é um estudo inspirado e indispensável sobre os mecanismos mentais do maior dramaturgo de todos os tempos.

Clique na imagem para comprar o livro Como Shakespeare Se Tornou Shakespeare.

Cronologia das Peças de Shakespeare

Quer saber quantas peças Shakespeare escreveu?

Para um entendimento mais claro das obras de dramaturgia de Shakespeare, me permita apresentar uma lista cronológica com suas obras. Devo adiantar que as datas e a sequência da produção das obras não está isenta de erros. Na verdade, existe muito debate em torno da época em que diversas obras de Shakespeare foram escritas. De modo geral, a lista abaixo deve agradar à maioria dos especialistas nos textos shakespearianos.

As principais obras e datas estimadas são as seguintes:

  • 1590: Henrique VI (Parte 1)
  • 1591: Henrique VI (Parte 2)
  • 1592: Henrique VI (Parte 3)
  • 1593: Ricardo III
  • 1593: Os Dois Cavalheiros de Verona
  • 1593: A Comédia dos Erros
  • 1593: A Megera Domada
  • 1594: Titus Andronicus
  • 1594: Trabalhos de Amores Perdidos
  • 1591-1596: Romeu e Julieta
  • 1595: Ricardo II
  • 1595: Trabalhos de Amor Perdidos
  • 1596: Vida e Morte do Rei João
  • 1596: Sonho de uma Noite de Verão
  • 1597: O Mercador de Veneza
  • 1597: As Alegres Comadres de Windsor
  • 1598: Muito Barulho por Nada
  • 1599: Júlio César
  • 1599: Como Gostais
  • 1600: Hamlet
  • 1601: A Fênix e a Tartaruga
  • 1602: Tróilo e Créssida
  • 1604: Otelo
  • 1605: Rei Lear
  • 1606: Antônio e Cleópatra
  • 1608: Coriolano
  • 1608: Péricles
  • 1610: Conto do Inverno
  • 1611: A Tempestade
  • 1612: Elegia para um Funeral
  • 1613: Os Dois Nobres Parentes
  • 1613: Henrique VIII

Conteúdo e Análise das Peças de Shakespeare

Podemos perceber uma grande variedade no conteúdo das obras de Shakespeare. Elas passeiam por vários âmbitos, desde comedias até histórias de poder, traição e corrupção.

A política tem presença forte em suas peças. As obras de Henrique VI e Henrique V, por exemplo, destacam os resultados temíveis do exercício de governantes norteados pela fraqueza e corrupção. Júlio César apresenta a conspiração desenvolvida contra o imperador romano Júlio César, seu assassinato e as consequências deste ato.

As obras mais famosas dele datam do período após 1600. Obras como Hamlet, Otelo e Rei Lear são enfáticas em destacar a fraqueza moral das pessoas. Textos repletos de traição, incesto, mentira, inveja.

Na fase final de sua vida encontramos algumas peças catalogadas como tragicomédias, como Conto do Inverno e A Tempestade. Estas obras possuem uma presença mais tensa do que as comedias. No entanto, visto que terminam enfatizando a ideia da reconciliação, não possuem a característica trágica de outras de suas obras.

O estilo de Shakespeare foi inovador. Um estilo tradicional de escrita foi adaptado conforme as necessidades narrativas de suas obras, o que permitiu dar uma visão individual aos seus textos.

Morte de William Shakespeare

Os registros disponíveis apontam para 23 de Abril de 1616 como a data da morte de William Shakespeare. A maioria das suas posses conquistadas com seus textos foi deixada como herança para sua filha.