Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

A FRASE

Os vendedores se espremiam na sala pouco ventilada. Quem eram? 12 almas cansadas e mal pagas. A motivação já lhes fora, outrora, uma força dominante. Hoje, nem mais sabiam como definir tal qualidade. Aliás, já nem a encaravam como uma qualidade. Por isso, aquela reunião não lhes parecia objetiva. O anúncio fora dado no dia anterior: as vendedoras deveriam estar presentes na Sala de Treinamentos logo após as 18h00 para uma palestra motivacional.

A Frase

Mais uma?, alguém perguntara, em protesto. Nunca tivemos palestras motivacionais, outra em resposta. Como não? Opinião favorável. Ou opinião contrária. Fato só existia um: ali estavam as 12 mulheres cansadas, ansiosas para toda aquela porcaria acabar logo, e poderem ir para casa.

Precisamente às 18h03 a porta da Sala de Treinamentos se abriu. Os burburinhos que havia ali (conversas sobre como tirar a mancha de graxa do vestido da filha, ou sobre como convencer o inútil do marido a limpar a casa) cessaram. A porta rangeu (faltava-lhe óleo como lhes faltavam paixão). Calmamente, uma estranha figura entrou. O corpo arqueado. Cabelos ralos e brancos lhe escorrendo pela testa abarrotada de rugas. Trêmulo como um pêndulo. Caminhava. Quase se arrastava. Um velho. Sozinho. Em silêncio. Tomou sua posição em frente ao enorme quadro. Olhou para suas 12 discípulas. Recuperou o fôlego. E passou a falar.

Apresentou-se. Era uma espécie de guru. Um conselheiro. Dava palestras motivacionais em dezenas, centenas de empresas. Dizia se locomover sempre a pé. Nunca andara de carro, avião, ou mesmo, bicicleta. Cruzara o país, sempre a pé. Máquina melhor que minhas pernas, dizia, ainda não criaram. Sua alimentação resumia-se apenas a pão, água e frutas. Dormia sobre um pedaço de estopa de linho, apenas para forrar o chão. E afirmava estar com 120 anos. Vivia assim desde os seus vinte e poucos. O que o levara a essa vida de abstinência fora uma frase dita por um mestre seu, quase 100 anos atrás. Uma única frase que o tirara do materialismo e o levara para essa vida de abstenção e redenção. E era essa a frase que ele tinha a dizer às 12 mulheres naquela sala, frase esta que mudou sua vida, e que mudaria a vida delas também.

Quando abriu a boca para enunciar a miraculosa expressão, arreganhou os olhos, que fitaram o teto, congelados diante da dor que se espalhara em seu peito, antes de se fecharem e o velho desabar no chão. Gritaria, correria, pedidos de socorro. Mas era tarde. O velho infartara ali, no meio de sua sua palestra.

Algumas pessoas na empresa ficaram em choque, ao ver o corpo sendo conduzido para fora. Outras choravam. A maioria, sem palavras. Mas as 12 mulheres se entreolhavam e sorriam, aliviadas.

Se aquela frase induziu o velho a ter tal vida de extrema restrição, graças a Deus que ele infartou antes de pronunciá-la.

(Crédito Foto: Miguel Ugalde)

1 Comment

  1. Laís Hariani

    17 abril, 2014 at 15:12

    como eu queria saber qual era a frase.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑