Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

AMORES VIRTUAIS

Amores virtuais e sentimentos byteanos conjugados em crônicas humorísticas

Chegou a conclusão de que a única forma de encontrar o seu príncipe encantado era por meio de sites de relacionamentos, especializados em unir pessoas com características semelhantes. Moça tímida, recatada, criada sob o rigor de um pai severo, nunca fora de sair, fazer amigos, paquerar. Encontrar um namorado, dentro de casa, assistindo novela das 6, das 7 e das 8 seria humanamente impossível. Mas chegando perto do fúnebre abismo dos 30  anos, chegou a conclusão de que precisava mudar. E a solução seria acreditar em amores virtuais.

Acessou o site. O primeiro campo a ser preenchido era “Apelido”. Um apelido, meu Deus! Mas que apelido? O apelido de criança? Nem pensar. “Miss Pança” estava fora de cogitação. Assustaria qualquer pretendente. Ela precisava de algo mais quente, mais sugestivo, mas sem ser extravagante demais. Que tal “Donzela em Erupção”!? Não era o exemplo perfeito de criatividade, mas não deixava de ser sincero. Se não fosse sincera agora, o que dizer depois de iniciar um relacionamento?

Crônicas Amores Virtuais

Mas na hora de preencher campos como Idade, Altura e Peso, hesitou. Sinceridade demais desgasta a relação, pensou, como uma especialista em relações amorosas. Por isso, diminuiu idade e peso, e aumentou a altura. No campo Cantor (a) Preferido (a), achou que Xuxa ia passar uma imagem ruim. Melhor Elis Regina. Homens gostam de mulheres cultas. Livros? Na vida, ela só tinha lido Dale Carnegie. Por isso, arriscou um Patrick Sufind – embora ela tentasse se referir a Patrick Süskind – que fora citado em alguma nota da Cláudia, mês passado. No campo Sonho, chegou a conclusão de que se colocasse a verdade (aquela verdade que cultivava ternamente desde seus 12 anos) de que queria casar e ter uma ninhada de 3 ou 4 filhos, ah, aí sim ninguém se interessaria por ela.

No final das contas, havia mudado tantas características, tantas referências, tantas especialidades que a “Donzela em Erupção” poderia ser qualquer pessoa do mundo, menos ela.

Ficou deprimida ao perceber que, se ela agia dessa maneira, ocultando suas características – encaradas como “defeito” sob os exigentes olhos de mulher que imagina estar fadada à vida monástica – e inventando outras qualidades; sim, se ela agia de tal forma, não seria difícil imaginar que outros agiriam da mesma maneira. Em outras palavras: se recebesse o e-mail dum jovem de vinte e poucos anos, atlético, olhos claros, nominado Poeta Coruscante, deveria entender: coroa desorientado, barrigudo, consumidor assíduo de espetinho e ovo cozido no Bar do Joca, e torcedor fanático do Grêmio Maringá.

Pensou melhor. Bem melhor, por sinal. Fechou o navegador sem salvar seu cadastro, e foi assistir emocionada, a mais uma eliminatória de A Fazenda.

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

16 Comments

  1. Larissa Silveira

    27 setembro, 2012 at 12:25

    Eliminatória de A Fazenda é fim de carreira.

  2. Talvés se ela acredita-se em si e não fica-se pesando negativo ,mesmo revelando suas caractérisca conse-
    guiria um relacionamento!!!!

  3. vanessa costa da silva lustosa

    7 março, 2013 at 15:57

    eu achei muito fodah…………

  4. Adorei este texto! ajudou-me muito à fazer meu trabalho de português! *-*

  5. Rosana Flores

    6 agosto, 2013 at 15:06

    Esta foi uma das melhores!!!

  6. andreza soares

    8 outubro, 2013 at 22:25

    quem é o autor ou autora deste texto?

    • Juliano Martinz

      8 outubro, 2013 at 23:47

      Olá Andreza,

      Todos os textos publicados no Corrosiva são de minha autoria.

      Abraços!

      • andreza soares

        13 outubro, 2013 at 18:48

        Obrigada Juliano, seus textos são ótimos, muito divertido, só acho que você deveria colocar uma breve biografia sua para conhecermos um pouco mais de você, mas parabéns pelos seus textos, gostei muito mesmo.

      • parabéns, adorei muito!

  7. Warne Kennedy

    9 abril, 2014 at 19:20

    Pra um indivíduo escrever crônicas humorística é exigente o talento que poucos tem.
    E pelo jeito Juliano Martinz é super talentoso… Parabéns…

  8. Gostei muito. O pormenor de não ter salvo o preenchimento do cadastro está muito bom.

  9. Oi,
    Muito interessante sua crônica, lerei ela com meus alunos… creio que super se enquadrará na realidade deles
    *—*

    Muito sucesso.

  10. Amei me ajudou muito Juliano!!
    Beijos
    Cah

  11. $Lord Matheus$

    11 junho, 2015 at 15:55

    Kara gostei foi top alem da final de A Fazenda mais tudo bem me ajudou a fazer o trabalho de português!!

    vlww!!!!

  12. obrigada por me fazer entender um pouco mais sobre crônicas, amanhã tenho prova de redação e graças a está ilustre e divertida crônica, posso fazer a prova tranquilamente.
    finalmente intendi o significado dessa joça.
    kkkkk
    muito obrigada mesmo

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑