Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

EXISTÊNCIA ÚNICA

Afague tua doce solidão. Não tenhas medo deste eco quando gritas no escuro. Se está só, então, não está só. Tua companhia é a melhor companhia. Pegue o próximo trem que te levará para lugares onde nunca esteve. Solte o ar que te mantém aprisionada. Levite ao dançar. Convide o mar. Livre-se destes paradigmas, desta mania de sempre acreditar no tolo e ingênuo coração. Aprenda amar teu brilho, tua existência única. Vá além. Um passo a mais. Vá tão longe a ponto de perguntar se será capaz de encontrar o caminho de volta pra casa. Aprenda a dizer não. Aprenda a sorrir além. Aprenda a confiar em mim.

Crônica - Existência Única

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

2 Comments

  1. Giovani Nascimento ( Gigon )

    3 julho, 2013 at 11:33

    Bons ventos só são bons ventos quando atingem algo a que possam modelar.
    E o resultado é a escultura que você não previu, mas em pensamento sentiu.
    Todo movimento espanta o egoismo da alma, a inércia que é fogo de se destruir…
    Sintamos pelos campos e cidades , a proximidade. a percepção de encontrar o que buscamos.
    Todos vivemos a busca, o movimento.
    Ajamos, Havemos…
    Deixemos a reticência ter outro significado. Aquele de não ter espaço, mas de continuar,
    A busca pelo movimento…

  2. nossa achei lindo demais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑