Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Por Que Você Não Deveria Namorar um Escritor?

Há quem se encante com as palavras dos escritores, e mergulhem em sonhos românticos de como seria interessante e uma intensa aventura poder namorar ou viver ao lado destas figuras. A grande verdade, e que seja dita e devidamente enfatizada, é que você nunca deveria querer namorar um escritor. Quando não encrenqueiros excêntricos, são sociopatas hipocondríacos. De uma forma ou outra, passar a vida com um escritor não é nada bom.

Assim, vamos analisar algumas das verdades e fantasias sobre o mundo particular dos escritores. Vejamos o que outros pensam a nosso respeito e se estas afirmações são falsas ou verdadeiras. Após considerar o artigo abaixo, você talvez se conscientize de que há razões suficientes para procurar manter, pelo menos, 50 metros de distância de nós.

Não namorar escritores

* Escritores encaram a vida de forma diferenciada. De certa forma, sim. Escritores costumam ser mais pessimistas diante de suas experiências de vida. Isto faz parte do ofício. Ninguém quer ler histórias de pôneis felizes bebericando água cristalina que corre de castelos feitos de ouro e mel. A ficção obriga os escritores a olhar para o lado ruim de cada nuvem que surge no horizonte; para cada trama que se esconde atrás da beleza de um sorriso. Se as coisas estão quietas demais, isto é prenúncio de uma tempestade.
Na vida evitamos o conflito. Na ficção, nos esforçamos para encontrá-la.

* Escritores nunca irão te levar a lugares interessantes. Não mesmo. Estamos ocupados demais escrevendo. Muitas atividades ocupam a vida dos escritores, como qualquer pessoa. Mas quando nos sobra um momento, preferimos ficar sozinhos, em frente ao computador, criando.

* Escritores não se importam tanto com dinheiro. Pode ser uma vantagem, até que eles comecem a pedir dinheiro emprestado para você.

* Escritores acatam os conselhos de pessoas de confiança. Verdade. Você terá que ler as observações que escrevemos sobre cada vírgula do que acontece em nosso universo. Você estará cansada após um longo dia de trabalho, e vamos colocar em suas mãos 50 páginas de um manuscrito.
– Leia isso. É minha obra-prima.
– Tá, depois eu leio – você vai dizer.
– Não, depois não. Leia agora.
– Mas, é muito grande.
– Sim, eu sei. Mas leia mesmo assim.
– Tá, eu vou só terminar de fazer umas coisas aqui e depois eu leio.
– Que amor!
Vinte minutos depois:
– Querida, você já leu?

* Escritores são solitários. Verdade. Costumamos elevar o máximo de nossa criatividade somente quando estamos sozinhos. A companhia, muitas vezes, prejudica o processo de criação.

* Escritores encaram problemas como matéria-prima para seus livros. Nossas obsessões e neuroses nos enchem de entusiasmo quando estamos na frente de um computador. Uma depressão faz com que consigamos derramar uma avalanche de palavras sobre o mundo deturpado que se desmorona ao nosso redor. Os infortúnios nos ajudam a produzir mais, não importa se longos romances ou crônicas pequenas. E com certeza não deve ser muito animador namorar com alguém que se entretém com o melodrama.

* Escritores são apaixonados. Verdade… pela escrita, e não necessariamente por você.

* Escritores são inteligentes. No momento que você perceber que isso não é uma verdade, seu relacionamento já estará atolado em um problema bastante significativo.

* Um escritor pode encontrar mil maneiras de dizer que gosta de você. Encontrar diferentes formas de dizer a mesma coisa é o nosso ofício.

* Escritores são excelentes comunicadores. Uma verdade, mas apenas quando escrevemos. Se você gosta de falar pelo telefone, prepare-se para uma sessão de tédio.

* Escritores são cercados por pessoas interessantes. Verdade, mas a grande maioria destas são personagens imaginárias.

* Escritores são sexy. Depois dessa, vou dormir.

 

borda

Receba Novidades

Insira seu e-mail para ser notificado sobre novas postagens da Literatura Corrosiva!

Seu e-mail (obrigatório)

40 Comments

  1. Graziella Mafraly

    18 julho, 2013 at 10:55

    Muito bom!!
    Meu marido sempre diz que se eu fizesse metade das coisas que eu escrevo, ele seria o homem mais feliz do mundo… rs…
    Geralmente não ligamos para dinheiro, isso é verdade, mas as coisas mudam de figura quando vamos nos aventurar em editar nossos livros e nos damos conta do investimento que é.
    Fora isso, todo o restante é verdade…
    Grande abraço.

  2. Samanta Naidhig

    18 julho, 2013 at 13:47

    Adorei… Já tive devaneios dessa natureza… Como uma aprendiz de escritora, me identifiquei com tudo. Vc sempre vai ao ponto. Parabéns.

  3. Eu falo como escritora e como pessoa!
    Tem queles escritores que só vê a forma de ganhar dinheiro através dos seus livros.
    Mas tem escritor que transmite ao mundo seus sentimentos através dos livros.
    Tem escritores solitários, mas também existem milhões de escritores felizes e gosta de passar sua felicidade através das escritas.
    Outros preferem levar alegria através dos livros.
    Eu sou todas as faces.
    Levo alegria nos corações das crianças através dos meus contos infantis.
    Levo otimismo as pessoas através das minhas reflexões.
    Levo sonhos e esperanças através dos meus livros de romances.
    E levo aos apaixonados uma luz através dos meus poemas de amor.
    Eu não me sinto encrenqueira excêntrica, nem sociopata hipocondríacos.
    De uma forma ou outra, as pessoas que passam a vida ao meu lado, são felizes.
    Sou uma admiradora constantes dos escritores, e escrevo para mim é para quem se sente feliz e ama esse mundo maravilhoso que, muitos costumam dizer,
    um mundo solitário mais que, na verdade não é solitário é um mundo só nosso.
    Onde mergulhamos no fundo da nossa alma e buscamos o que queremos passar ao mundo, o que pensamos e amamos.
    Abraço

  4. Pois é, pois é… Bem assim mesmo. Minha mulher me conheceu “não escritor em tempo integral”. Acho que ela preferia o cara antigo…

    Ah… e como eu poderia tirar sua razão? O único jeito de um parceiro gostar do escritor é se tornando um fã dele. O que quase sempre é mais difícil que mudar de parceiro, rsrs.

  5. Amei o texto! Me identifiquei com quase tudo! Na verdade tenho mesmo uma vida solitária e quando estou de frente para o computador só tenho tempo para os personagens, que são extremamente possessivos! rs Abraços!

  6. Ana Gabriela Ribeiro

    18 julho, 2013 at 18:33

    Estou escrevendo o meu primeiro livro e ri bastante com muita coisa que me identifico no que vc diz. Contudo, normalmente sou uma pessoa sociavel, e acho que a materia do escritor é a vida! São as pessoas com toda a psicologia e psicose que pode ter nela. Um escritor é uma pessoa antes de mais. E a criatividade não vem do nada, vem da nossa experiencia. Alem disso, sera que um escritor não podera namorar uma escritora?

  7. Perfeito! E essa pessoa interessada não pode ter ciumes de todo o tempo que passamos com os personagens. Me identifiquei tanto que não tiro da cabeça que tenho gênio de escritora, será essa resposta para o enigma que há anos tento resolver? haha. Estou acompanhando seu site há pouco, mas tem sido muito válido os conselhos e os textos são maravilhosos, você é demais! (:

  8. Realmente será um amor silencioso, por que quem escreve ama o silencio.

  9. Fatima Sansone

    21 julho, 2013 at 00:29

    Realmente… Não é nada atraente namorar um escritor… Também não aconselho…
    Acho que as pessoas acabam se apaixonando pelo que escrevemos…
    E não pelo que temos para oferecer…
    Muitas vezes o que registramos no papel nem sempre estamos prontos para realizar na vida real…
    E as pessoas nem sempre entendem isso…
    Muitas vezes somos inspirados por um plano maior…
    E nem tudo que sai de nossas mentes…
    Realmente são ditas por nós mesmos…
    E para explicar isso?
    Taí… Porque muitas vezes… Um escritor… É bastante solitário…

  10. Jefferson Reis

    21 julho, 2013 at 06:55

    Certa vez li uma crônica chamada “Namore uma garota que lê” e achei que seria divertido escrever “Namore um garoto que escreve”. Sairia em defesa dos rapazes tímidos que são deixados de lado por não serem tão legais quanto os esportistas e cultivam um amor pela escrita. Na crônica, eu diria o quanto é adorável dividir a vida com alguém apaixonado pelas palavras, alguém que certamente irá poetizar você, transformá-lo em personagem, dedicar um romance e outras coisas do gênero. Abandonei a ideia quando deixei de acreditar em rótulos em definitivo. Não categorizo muita coisas hoje em dia, principalmente pessoas. Mesmo assim, deparei-me este post que fala muito sobre mim. Depois de ler, divagar e pensar muito, cheguei à conclusão de que me namorar não é uma coisa legal. Meu conselho para quem, por ventura, vier a se interessar por mim é esse: não me namorem, sou um pouco do caos que vocês não gostam.

  11. Shana Conzatti

    21 julho, 2013 at 15:12

    Maravilhoso! Você captou todo o interior de um escritor. Me identifiquei em quase tudo. Adoro seus textos, você tem um grande talento. Parabéns!

  12. Adorei!
    Parabéns pelo post! você apresentou diversas situações diferentes que podem até mesmo com quem não é escritor, às vezes as pessoas se envolvem tanto com algo que se “desligam” um pouco do resto e tomam atitudes inusitadas

    Abs
    Pah

  13. Eliza Augusta Gouveia Gregio

    21 julho, 2013 at 19:12

    Amigo interessante seu texto de reflexão, sou poetiza e me vejo um pouco estre estas entrelinhas…As vezes me vejo uma pessoa apaixonante e me preocupa ao refletir não sou eu e sim a poesia e minha alma falando mais que não deixa de ser eu complicado emm…Mais resumindo vejo tanto o poeta como o escritor, adoráveis sonhadores e o que seria da vida sem os nossos sonhos….

  14. Diego Paykala

    22 julho, 2013 at 13:58

    Olá! Parabéns adorei o post! não sou escritor propriamente dito, mas escrevo minhas canções, sou músico! Acho que o post se encaixa tbm no termo: Não namore um Artista!
    Nós todos somos Lobos da Estepe, e nosso maior orgulho e alegria (por mais que isso nos cause inúmeras dores), consiste em se isolar do mundo e criar!

  15. Adorei! E por mais triste que seja, é a verdade sobre nós escritores :/

  16. HELOIZA OLIVEIRA

    22 julho, 2013 at 19:03

    ESCRITO NÃO AMA ASSIM COMO POETA SEMPRE FALO NUNCA SEJA MUSA DE UM POETA MAS SIM A POESIA DE UM POETA

  17. * Escritores são excelentes comunicadores. Uma verdade, mas apenas quando escrevemos. Se você gosta de falar pelo telefone, prepare-se para uma sessão de tédio.

    Finalmente alguem que me entende! hahaha
    Beijo, Mari Scotti

  18. Namoro um escritor e posso dizer que sim, sou fã dele! Óbvio que eu gostaria que as palavras de amor que seus personagens falam fossem também ditas para mim, mas o que eu tenho é amor real. Leio as histórias, ouço várias vezes o enredo e sempre me impressiono com a mente fértil que ele tem. Apesar de às vezes ter ciúmes da atenção demasiada que ele dà a isso, sei que ele é feliz assim. Não trocaria o meu escritor por nada!

  19. Post incrível!
    Eu me identifico com quase tudo o que esta escrito!
    Sou solitária, quero mesmo a opinião de quem em gosto, sou apaixonada por escrever, vejo a vida de um jeito diferente mesmo…meus deuses! você retratou quase que perfeitamente o que eu sou e sempre fui…

  20. Nathalia S Leonel

    23 julho, 2013 at 17:34

    Gostei bastante do titulo do seu post, porem escrevo e nao me indentifiquei com o texto.
    Respeito a sua forma de pensar, mas acredito que isso vai de escritor para escritor, depende muito do que voce gosta de escrever. Gosto de escrever sobre a vida, experiencias, formas de sentir e vivenciar a vida, entao coloco muita emocao e verdade nas coisas , deixando a imaginacao totalmente de lado…

    Gosto muito de falar, no dia a dia e de viver ao maximo, conhecer gente, ter experiencias novas.

    Desculpe pela falta de acentuacao, meu teclado nao tem acentos , nao moro no Brasil!!

    Continue escrevendo !!!

    Visitem minha pagina no facebook!!!

    beijos!

    https://www.facebook.com/pages/Pensamentos-por-Nathalia-S-Leonel/507691155939181#

  21. Rachel de Mandaron

    23 julho, 2013 at 18:48

    Nós os escritores achamos tempo pra tudo, com tanto, que a maior parte dele seja pra escrever…

  22. Foi de grande importância este texto para mim, agora estou começando a entender o comportamento do meu filho que deseja ser escritor, ufa!

  23. Bartholomeu Dias

    24 julho, 2013 at 12:13

    O texto resume muito bem o que somos. As pessoas se apaixonam pelas nossas palavras e nem sempre pelo que realmente somos.

  24. Esse texto também serve para namorad@s de desenhistas… rsrs

  25. Não sei vocês, mas isso só faz com que eu tenha mais vontade de namorar com um escritor e como sou exatamente assim, acho que entenderia muito bem ele!

  26. Tão verdade! Dei risada do começo ao fim… Essas pessoas acham que escritores são sexy porque nunca nos viram sentados na frente do computador e vestidos como mendigos ou crianças de cinco anos.

  27. Imaginem as formas mais inimagináveis de a pessoa dizer “eu te amo”.
    Ela vai improvisar com “eu te odeio”, e dizer que em literatura, significa a mesma coisa…

    A.

  28. Jandira Escrivani

    18 outubro, 2014 at 10:25

    Olá!

    Amigo, você é muito engraçado!Adorei essa matéria, é muito interessante.Mas não adianta incentivar as pessoas a não se envolver com seus ídolos, porque isso é os nossos lindos sonhos!

    Eu estou iniciando na carreira de escritora, com um poético religioso, contendo também romantismo, natureza, história e outros…

    Concordo que um escritor, não tem tempo de se dedicar às pessoas, e precisa da solidão para ser criativo, ou para colocar em prática, suas ideias.

    Quanto a ganhar dinheiro com livros, esquece! Os custos para uma publicação; ainda que independente, são muito alto, e as pessoas não compram, as vezes por não gostar de ler; por não se interessar pelo assunto, ou se o escritor não é famoso, nem muito conhecido. Tudo isso dificulta para colocarmos uma boa obra literária no mercado de vendas.

    A verdade é, que pessoas não devem amar um escritor, baseado naquilo que ele escreve; mas sim, procurar entrar em sintonia com suas escritas, porque ninguém escreve algo de si mesmo, se não houver uma elevação do seu espírito.

    Um grande abraço!

    Jandira

  29. SRA_MARQUES

    6 maio, 2015 at 00:02

    DEPOIS DESTE POST,ME CONSIDERO ESCRITORA,MAS,DEPOIS DESTE POST NÃO QUERO SER ESCRITORA HUEHUE ,COMO SOMOS CHATOS E EM PARTICULAR NOS ACHAMOS INCRÍVEIS,OU AS VEZES NÃO,QUASE SEMPRE NÃO
    EU SEMPRE ANDEI RABISCANDO PÁGINAS DE CADERNOS,MAS,ESCREVER É COMO DOM,QUE ACHO QUE EU NÃO TENHO,MESMO QUE EU ADORARIA MUITO ESCREVER UM LIVRO E TODAS ESSAS DICAS SÃO MARAVILHOSAS,APENAS ME ALÍVIO COM QUE ESCREVO
    ME IDENTIFIQUEI COM TUDO,E ESTE POST DÁ SENTIDO À TANTA COISA QUE EU ACHAVA ESTRANHO…

  30. Ivete Scrivani

    2 junho, 2015 at 18:05

    Eu admiro muito os escritores, penso que escrever é um dom de “Deus”, por eles encontrar tantas palavras bonitas e sábias, que nos envolve; mas realmente concordo que são pessoas solitárias, e quando estão na frente de um computador, pode esquecer deles.

    Um abraço, e boa sorte a todos os escritores.

  31. É tudo verdade ein? Não me recomendo pra ninguém. Além da escrita me dedico a outra arte ou seja, minha vida não é nem um pouco convencional. E muito complicado namorar comigo. A unica coisa que vale a ressalva é a dificuldade de comunicação verbal x escrita. Eu falo muito e prefiro falar. Me comunicar atraves da escrita da muita confusão, pq se a pessoa fala abacaxi eu conheço 400 significados diferentes pra abacaxi. E se eu uso abacaxi num determinado sentido, dificilmente a pessoa entende do que estou falando. Existem tipos diferentes de escritores, eu falo muito, escrevo muito e penso muito mais. Comigo tudo é over. Adoooooooooooro solidão e preciso dela como de oxigenio, mas vivo coisas pra caralho, tenho muitas experiências e em grande parte delas se alimenta minha escrita. Não sei como seria namorar um outro escritor mas é algo que adoraria fazer, juntando nossos livros ja daria uma biblioteca! Ele me entederia, me deixaria so quando eu precisasse. Mas acho que os escritores em geral não se interessam entre si, ou eu que não tive essa “sorte” ainda?

  32. Jean Carlos de Andrade

    23 julho, 2015 at 13:15

    Nossa, será que somos assim mesmo? (Risos) Acho que não sou tão chato assim! Mas por via das dúvidas , vou me policiar!!!

  33. Considero-me uma pessoa que escreve e vive intensamente, e gostaria sim de encontrar um amor que escreva, pois só assim ele me entenderá.

  34. Muitas das coisas mencionadas sobre escritor, encorporam quem sou, mas algumas coisas mencionadas ai, não.
    Outras ainda nunca tive o privilegio de experienciar, tipo: eu saio muito, gasto muito tempo com as pessoas, sou um bom comunicador via telefone e etc. porque muito dos meus textos eu crio enquanto saio e me divirto com os amigos, e quanto a telefone também tem sido útil para criar técnicas de sedução. mas muitas vezes a solidão me traz também muita inspiração.
    Também me lembro, um amigo me dizer, “que se eu fosse metade do que eu escrevo, então eu seria perfeito”, e o mais engraçado é a minha noiva, que quando a gente esta numa discussão, ele me ameaça nunca mais ler os meus livros 😂😂.

  35. Ivete Correa

    5 abril, 2016 at 13:37

    Boa tarde, olha , amei seu texto,muito significativo e, em partes engraçado,também super interessante e me ajudou um monte sobre algumas dúvidas que eu tinha…..
    Mas, fiquei intrigada com a questão de que escritores são sexy, com essa vou dormir….. não entendi esse negócio, muito polêmico (rsrsrsrs)….

  36. Sinto que o fato de eu precisar de muito tempo sozinho pra escrever, não ligar para dinheiro, querer ser lido e minha parceira não se interessar pelo meu gênero são grande parte dos problemas no meu relacionamento. Também tenho um pouco de bloqueio ao criar, pois convivendo tão próximo a alguém a gente se questiona o que ela vai pensar de nós se ler o que a gente escreve. Esse conto de terror está macabro demais? Esse vilão foge a todos os escrúpulos? Como abordar traição e aventuras eróticas como uma parte normal da vida do meu personagem sem deixar minha parceira insegura sobre o meu próprio posicionamento no tema? Como explicar onde eu acabo e onde entra o personagem? Não quero ser obrigado a criar textos no padrão Disney para convencer os outros da minha sanidade mental, quero mergulhar fundo na minha loucura enquanto escrevo, como explicar pequenas manias que estimulam a criatividade? Como explicar que quero colar papéis pela casa e escrever na parede e minha total negligência para com a estética da casa?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑