Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

A Lenda de King Jeremy – CAPÍTULO 16

Em um mundo de insanos, é loucura imaginar que alguns não sejam capazes de voar

1995

  • Smashing Pumpkins lança o álbum duplo Mellon Collie and Infinite Sadness que se torna um divisor das águas na história do rock;
  • Alanis Morrisset, aos 21 anos, lança o álbum Jagged Little Pill. Ela diz: “Eu escrevi algumas músicas e acordei no outro dia e nem mesmo me lembrava de tê-las feito… Foi quase como um lapso de consciência.”;
  • Cinco adolescentes que usam terno e cabelos estranhos tornam-se conhecidos em toda a Suécia como The Hives;
  • Daron Malakian, John Dolmayan, Serj Tankian e Shavo Odadjian decidem mudar o nome de sua banda Soil. O novo nome é System of a Down, nome este tirado de um poema do guitarrista Daron, chamado Victims of a Down;
  • Pato Fu lança seu segundo álbum: Gol de Quem?A banda passa a integrar guitarras, percussão eletrônica e viola em suas músicas. A vocalista Fernanda Takai diz: “Queremos vencer pela estranheza”.

O casamento de Veraline foi realizado no dia 25 de Março de 1995. Um dia em que os céus contribuíram com um firmamento azul e claro. O que era essencial, afinal, o casamento seria a céu aberto. A cerimônia estava sendo realizado na casa de campo dos pais de Veraline, um lugar naturalmente presenteado pela natureza com flores, canto de pássaros variados e cachoeira. A suavidade natural que refletia o suave amor de Veraline por Marcos.

O mundo dera muitas voltas, era verdade. E transformara vidas.

O namoro com Marcos tivera início 5 anos atrás e ruíra pouco tempo depois com a introdução de Francielly na história dos dois. Mas, Veraline e a derrota não eram figuras afeiçoadas. Com sua inteligência aguçada, personalidade envolvente e beleza angelical, não demorou muito para Marcos perceber que estava fazendo um péssimo investimento. Em pouco tempo, voltara correndo para os braços dela.

Veraline sempre vence.

O destino de Francielly era desconhecido. Ela desaparecera no mundo. Talvez, neste momento, estivesse procurando outro casal de namorados e fazendo planos para destruir a felicidade deles. Para Veraline, pouco importava. Desde que nunca mais o caminho de ambas se cruzassem.

Ela agora desfilava entre os convidados não mais ao lado do seu namorado – agora ele era seu marido. E os olhares de todos repousavam sobre o casal com exímia admiração. Formavam um dos mais belos casais da cidade. Por isso, já eram personagens tarimbadas das colunas sociais dos jornais da região.

Apesar de tudo isso, o casamento não estava sendo perfeito. E isso por culpa do seu pai. Para seu desgosto, a banda contratada para tocar na festa do casamento foram Os Aborrecidos. Veraline só ficou sabendo quando já era tarde demais. Quase teve um ataque de histeria com seu pai pela tolice de contratar a banda de Aquiles, o lunático que ficava enviando poesias assustadoras para ela. Aquele sujeito estranho escrevera um poema enorme que só falava em morte e coisas do gênero. Mas logo após ler aquela série de alucinações rimadas, a própria Veraline fizera questão de colocar a poesia em seu lugar merecido: a lata de lixo.

E agora teria a desagradável companhia de Aquiles bem ali, em seu casamento. Como Marcos reagiria quando soubesse que o cara que arrebentara seu queixo seria o responsável por embalar a dança dos noivos e dos convidados? O pai de Veraline nem sabia da existência de Aquiles e de sua psicótica postura atrás dela. Simplesmente, seguira a sugestão de um amigo que dissera que Os Aborrecidos eram uma das melhores bandas da cidade.

Mas agora era tarde demais. Eles já estavam tocando ali havia alguns minutos. Marcos não comentara nada, embora Veraline percebera que ele ficou desestruturado quando viu aquele monstro violento solando sua guitarra. E o pior de tudo era que ele estava bêbado. Balançava-se como um animal pra lá e pra cá, o tempo todo. Às vezes, tropeçava nos equipamentos. Vesgo, feio, estranho e bêbado. Como tantas coisas negativas podiam fazer parte de um ser, apenas?

Veraline ouvira dizer que Os Aborrecidos fecharam um contrato com uma gravadora. Nada mais do que isso. Ainda eram ilustres desconhecidos que dependiam de festas de casamento para sobreviver. Veraline desejava de coração que eles nunca atingissem o sucesso. O desprezo que ela sentia por Aquiles a impulsionava nesta direção. Que o álbum deles acumulasse teias de aranha nas lojas e que este fosse o primeiro e único trabalho lançado pela banda.

Na verdade, toda a banda era formada por conhecidos de escola de Veraline. Um dos colegas de Veraline, Andreas, havia saído da banda. Ou sido expulso – os poucos comentários variavam. Diziam que Andreas era um megalomaníaco que queria controlar todos os rumos da banda e, se deixassem, controlaria o mundo inteiro. Um idiota metido a ditador. No ano letivo que começara a poucos dias, ela percebia que ele vivia quieto pelos cantos. Não vivia mais grudado com o psicótico Aquiles, como antigamente. Atualmente, ela só o via com Elou – o clone careca de Robert Smith, do Cure.

Enquanto Veraline olhava com desconfiança para o psicopata dando pulos ensandecidos pelo palco, temendo pelo pior, foi puxada por Marcos para um canto.

– Vamos embora daqui.

– Embora para onde?

– Para nossa casa, oras.

– Não podemos deixar os convidados, Marcos.

– Danem-se os convidados – disse ele, dando-lhe um suave beijo.

Ela desvencilhou-se, rapidamente.

– Ei… É falta de educação sairmos no meio da festa. Ainda nem começou a anoitecer.

– Ainda vai demorar uma eternidade para anoitecer.

Enquanto ainda se deliciava em ver o rosto apaixonado e cheio de desejos de seu marido, Veraline ouviu um barulho assustador, um som agudo tão alto que a obrigou a levar as mãos aos ouvidos. Quando olhou para o palco, ela paralisou com a visão assustadora que se desenrolava ali.

Aquiles estava destruindo tudo.

Ir Para CAPÍTULO 17

3 Comments

  1. Quero baixar o livro todo tem como?

    • Juliano Martinz

      28 agosto, 2016 at 16:02

      Escrevi este livro há 13 anos, e ele ficou perdido e esquecido. Agora, estou revisando os capítulos e postando cada um deles, logo em seguida. Vou disponibilizar o download gratuito em PDF após todos os capítulos serem revisados.

  2. Ézio Ema Manuel

    29 agosto, 2016 at 09:49

    Leio todos dias. Drama . Suspense . Romance. Parabéns. Estarei a espera a disponibilização do livro para Download

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑