Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Rimas em Poemas

Rimas em Poemas e Poesias

A rima é um importante aliado dos poetas. Muitos dos poemas tradicionais utilizam um padrão específico de rimas, como os sonetos, por exemplo. No entanto, mesmo quando utilizamos o verso livre, ainda assim é possível pincelar as palavras com algumas rimas, dispostas segundo o seu gosto.

Por que utilizar rimas em poemas?

Qual a razão de muitos poemas utilizarem a rima? Citando apenas duas:

  • Usar rimas em poemas torna a leitura mais prazerosa. Quando uma rima é bem feita, ela se torna agradável aos nossos ouvidos. Ela adiciona um elemento musical ao poema. As peças se encaixam, as palavras se tornam coesas e absolutas. As rimas também facilitam a memorização. É mais fácil para nosso cérebro se lembrar de um poema com rima do que se não possuir rima qualquer.
  • Alguns poemas não rimam todos os seus versos, mas o poeta reserva a rima apenas para os principais. Isto possibilita destacar as palavras principais, os versos-chave, aqueles que realmente se desejar chamar a atenção.

Rimas internas e externas

A maioria das poemas tradicionais utilizam rimas externas. Ou seja, a última palavra de um verso rima com a última de outro verso. Mas há casos de rimas internas. Nestes casos, o poeta utiliza uma palavra no meio do verso para rimar com a última palavra da mesma linha. O oposto também ocorre nas rimas internas – quando a palavra final de um verso rima com uma palavra no meio do verso seguinte.

Abaixo, um exemplo de rima externa, em um verso meu improvisado:

Minha insolência amputada por teu nobre “não
Minha fama descompassada por tua falta de compaixão

Agora, em uma rima interna, percebe-se a ligação entre as palavras “descompassada” e “fracionada”:

Minha insolência amputada por teu nobre “não”
Minha fama descompassada, minha vida fracionada

Padrão de rimas nos poemas

O padrão de rimas é definido e categorizado pelas letras A, B, C, D, etc. O primeiro conjunto de rimas são marcados como “A”. O segundo como “B”, e assim sucessivamente.

Desta forma, em um poema com o esquema ABAB, o primeiro verso rima com o terceiro, e o segundo verso rima com o quarto. Em um poema com um esquema de rimas ABCB, o segundo verso rima com o quarto. No entanto, não há rimas entre o primeiro e terceiro versos.

1 Comment

  1. Ótima explicação, agora estou entendendo. Muito obrigado.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑