Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

SONHOS EM COMA

Sonhos em coma. O medo já é rotina. O desespero é o ator principal. A esperança saiu de cena há tempos. Tão cedo. Cedo demais. Deveria estar aqui. Poderia estar. Um quinto, que fosse. De mãos dadas aos sonhos. Ainda que em silêncio. Ainda que carente de atenção. Onde foste parar, esperança? Por que não esperaste um pouco mais? Na sua ausência, chegou a angústia. Espalhou-se como gangrena. Esgotou um corpo. Manchas e neblina. Carências e pele ressequida. Queria te ver. Eu poderia te ver. Te resgatar dos seus grilhões. Te trazer de volta a luz. Salvar-te de crônicas narrativas decadentes, para que possas me salvar. Sem mim, não tens porque existir. Sem você, esperança, não existe eu.

Sonhos em coma

2 Comments

  1. a esperança é uma amiga imaginária.

  2. Juliano, muito bom! Muito expressiva essa esperança. Um abraço

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑