Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

As Vantagens de Usar Personagens Traumatizadas Em Um Livro

Impulsionadas por um traumático acontecimento no passado, a personagem do seu livro assume uma característica pouco convencional e, em alguns casos, até bastante desagradável

O passado de uma personagem pode causar um profundo impacto em seu comportamento. Um trauma pode afetar suas ações, crenças, desenvolvimento emocional, etc. Com isso, sua personagem passa a tomar atitudes que, de outra forma, não seriam seguidas. Impulsionadas por uma dor maior que a moldou no passado, a personagem assume uma característica não convencional e, em alguns casos, até bem desagradável.

Traumas de personagens em livrosEstou me referindo a ações bem distantes da normalidade. A personagem está mental e emocionalmente perturbada. E seus traumas podem afetar diretamente a forma como ela age a fim de atingir um objetivo proposto no livro. Nestes casos, ela mesma pode agir como seu próprio antagonista.

Um trauma pode ser algo consciente ou um acontecimento que foi mentalmente esquecido, mas não emocionalmente superado. Em muitos casos, refere-se a um evento único, como um acidente. Mas o trauma da personagem pode ter se edificado em resultado de uma série de acontecimentos, como uma criação opressiva. Não há regras quanto a melhor época para o surgimento de um trauma. Ele pode ter ocorrido em qualquer momento de sua vida, quando criança ou adulta.

Por Que Usar Traumas nas Personagens de um Livro

O trauma é um elemento poderoso na construção de uma personagem, e geralmente é utilizado para definir traços de personalidade do protagonista ou do vilão. Atua como uma estrutura fantasma, estranha, que orienta as decisões da personagem.

Traumas de personagens em livrosPor exemplo, imagine que seu protagonista é uma pessoa fria, sem sentimentos, quase um anti-herói. Alguém que se recusa a ter envolvimentos românticos, ainda que oportunidades existam. Em vez de simplesmente atribuir isto como uma característica de personalidade dele, você pode evocar um trauma passado para justificar este comportamento.

Este tipo de recurso é excelente para tornar a personagem mais humana. É mais fácil para os leitores se identificarem com o que estão lendo. Quando um leitor se conecta a um acontecimento vivenciado pelo protagonista (independentemente disso ter acontecido no Brasil ou no distante planeta de Kioplryrstoplaisyneztk), eles passam a estar unidos de forma íntima. Em resultado, os leitores passam a sentir na pele o que afeta a personagem.

Se a personagem do seu romance sofreu um trauma, é importante que isto venha a interferir nas ações dela, podendo até mesmo prejudicá-la. Seja em maior ou menor grau, isto precisa ser evidenciado ao longo do livro.

Como Relevar Aos Leitores os Traumas da Personagem

Ok, você entendeu a importância do trauma para humanizar o protagonista ou vilão em sua literatura. Mas como apresentar estes eventos?

Em termos simples, há 4 formas de revelar os traumas da personagem para seus leitores. São elas:

  • A narrativa inicia com o evento traumático, e a história passa a decorrer a partir dali;
  • A narrativa começa com o evento traumático e, em seguida, salta anos a frente, até o ponto onde a história do seu livro começa;
  • A narrativa começa após o evento traumático. Durante o livro, você utiliza recursos de flashback (intercalados ou não) para descrever o trauma da personagem;
  • A narrativa começa após o evento traumático, e tal evento é subentendido no comportamento da personagem e também em seus diálogos.

Como Descrever a Libertação da Personagem

Traumas de personagens em livrosPara que a personagem se recupere até o final do romance, é necessário que ela passe a compreender o significado dos eventos traumáticos, aceite o que aconteceu e se perdoe. Este é um processo lento, que ocupará toda a narrativa. Assim, não realize uma mudança abrupta. Exemplo: Da noite para o dia, o homem com coração de pedra, que não precisa de ninguém para ser feliz, descobre-se perdidamente apaixonado pela dócil mocinha da biblioteca. Sem essa, por favor! As mudanças, a superação de um trauma é um processo silencioso, manifestado no decorrer das ações tomadas pela personagem.

Isto precede a sensação de liberdade que fará com que ela, finalmente, volte a respirar. Trata-se de um ciclo, uma transformação, iniciada com a compreensão e finalizada com a centralização do seu eu emocional.

Evidentemente, você pode preferir manter sua personagem dentro da sua redoma traumática. Isto, quem sabe, pode até mesmo abrir espaço para futuros livros de uma mesma série.

1 Comment

  1. Muito interessante e esclarecedoras as dicas passadas neste texto. Sonho com a possibilidade de escrever um romance, já tenho o seu esqueleto montado, me falta coragem e inspiração para começar a escrever. Mas, eu sei que num momento oportuno vou começar e vou publicar o meu romance, ou drama, ou peça teatral, ou qualquer coisa que envolva personagens interessantes e que tenham, quem sabe, alguns traumas. Muito legal, obrigado!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑