Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

Como Iniciar Um Livro II – A Missão

O artigo continua analisando dicas importantes sobre como iniciar um livro e, ainda, apresenta um checklist para você examinar o primeiro capítulo seu livro

No artigo Como Começar um Livro mencionei os desafios que jovens escritores enfrentam ao dar o chute inicial em suas obras. A ideia principal da trama está bem vívida na mente; mas por onde e como começar?

Foram dadas dicas sobre iniciar o romance de uma forma impactante, criar suspense ou até mesmo deixar para escrever o primeiro capítulo por último.

Mas há outros desafios. Na ânsia de avançarem suas obras, muitos escritores acabam deixando importantes elementos de fora.

Por isto, vamos destacar algumas importantes características do primeiro capítulo de um romance. Isto não significa que todas elas sejam obrigatoriamente necessárias. Talvez você mesmo consiga citar autores que quebraram estes paradigmas e criaram verdadeiras obras de arte.

Mas o objetivo deste artigo não é estabelecer uma regra absoluta que você deve seguir toda vez que iniciar um livro. O importante é ter todos estes elementos em mente. Assim, se forem deixados de lado, que isto ocorra de forma consciente, e não por esquecimento.

Apresente a Personagem Principal

apresente a personagem principalPode parecer lógico, mas não é. Muitos escritores preferem escrever o primeiro capítulo dando total destaque ao vilão, ou a uma personagem secundária que vai morrer nas próximas páginas.

Esta não é a melhor forma de iniciar um livro. Quando leitores se deparam com uma personagem com grande destaque no primeiro capítulo, inconscientemente, já identificam-na como protagonista. E não gostam de ser enganados neste sentido. Por isso, o primeiro capítulo é o lugar para você focar na personagem principal.

No entanto, se desejar que a abertura do seu livro apresente o vilão, sugiro que introduza seu livro com um Prólogo. Desta forma, poderá reservar o prólogo para o vilão, ao passo que no primeiro capítulo será dado destaque para a personagem principal.

Descreva a Personagem Principal de Forma Sucinta

Você tem um universo de informações sobre sua personagem principal. Muito provavelmente já desenvolveu um intenso carinho por esta pessoa que, até o momento, só vive em sua mente. E está ansioso em descrever suas características físicas, emocionais e psicológicas.

No entanto, o primeiro capítulo não deve ser usado para isso. Uma descrição longa cansa os leitores e deixa-os impacientes, esperando por algo realmente intenso.

Assim, no primeiro capítulo, descreva somente o essencial de sua personagem. E isto não inclui a cor dos seus olhos ou se apenas usa sapatos exóticos feitos com pele de sapo. Se a descrição física contribuir de alguma forma para o estabelecimento da trama, ótimo. Do contrário, descarte estes detalhes no momento. Nos capítulos a frente, você terá oportunidades para se aprofundar um pouco mais nestas características.

Faça Com Que o Protagonista Conquiste a Simpatia do Leitor

artigo-como-iniciar-livroAo iniciar um livro, lembre-se que os leitores precisam se envolver com o protagonista. Trata-se de uma simpatia que deve ser estabelecida logo de início. Este é um dos motivos pelo qual descrições físicas superficiais devem ser descartadas, temporariamente.

Então, pergunte-se: o que faz com que eu goste tanto do meu protagonista? Procure deixar a mostra quem ele realmente é, seus valores e princípios, e aquilo em prol do que ele luta.

Isto não significa criar um protagonista envolvido por um véu de perfeição (o que, convenhamos, é muito chato).

No clássico, E o Vento Levou, Scarlett O’Hara é apresentada no primeiro capítulo como uma narcisista intragável:

“Ela nunca conseguia aguentar por muito tempo qualquer conversa da qual ela mesma não fosse o assunto principal”

Algo importante é que o protagonista não seja apresentado como uma figura fraca. Ainda que repleto de defeitos, é importante que ele seja determinado, decidido a alcançar aquilo em que acredita.

Apresente o Antagonista

Note que estamos falando do antagonista. Este não precisa ser, necessariamente, o vilão. Antagonista é aquele que de alguma forma se opõe aos objetivos do protagonista. No capítulo de abertura, é preciso mostrar aos leitores que sua personagem terá desafios. Este antagonista poderá vir na forma de uma pessoa ou mesmo de uma situação.

Por exemplo, uma ficção científica poderá tratar de aliens (vilão) que atacarão uma missão tripulada. No entanto, suponha que isto ocorra mais a frente, talvez no capítulo 3 ou 4. Ainda assim, você precisa trazer à tona um antagonista no capítulo 1. Talvez ele possa vir na forma do capitão linha dura da missão ou de problemas técnicos na viagem até o referido planeta.

Como iniciar um livro? Deixe claro que a vida de sua personagem principal não será um mar de rosas, ainda que o vilão resolva tirar férias.

Cuidado Com o Excesso de Personagens Secundárias

Cuide para que o primeiro capítulo não fique abarrotado com personagens secundárias. Jovens escritores costumam inserir personagens no capítulo de abertura e que desaparecem subitamente, para nunca mais voltar. Isso só faz com que o papel do protagonista seja ofuscado.

Excesso personagens secundários

Arte: David Blaine Clemons

Defina Claramente o Estilo nos Parágrafos de Abertura

Qual o tom de seu romance? Qual a essência do seu livro? Isto precisa ficar claro nos parágrafos iniciais. Se é uma comédia, precisa de bom humor. Se é um thriller político, precisa definir a tensão conspiratória típica destes romances no capítulo inicial. Não confunda o leitor por misturar diferentes estilos logo no começo.

Defina o Ambiente

Onde ocorre a trama? Novamente, você não deve insistir em descrições infinitas e detalhadas. Mas é preciso que os leitores se situem no ambiente onde ocorre a trama. Isto envolve saber a localização geográfica dos eventos, a época, e a situação contextual para ambientar os leitores.

Este princípio é ainda mais importante no caso de livros de ficção científica ou fantasia. O fato de transferir os leitores para um universo totalmente fora de sua realidade exige atenção para que eles sejam informados sobre isso. Descreva apenas o suficiente para situá-los, e reserve os próximos capítulos para exposições mais profundas.Definir estilo do livro nos parágrafos introdutórios

Encerre o Capítulo Com Algum Suspense

Conforme mencionado no artigo “Como Começar um Livro”, é preciso estimular a curiosidade do público, gerando um suspense que será esclarecido nas páginas a frente. Este tipo de elemento é essencial. Pessoas não leem livros simplesmente por ver descrições triviais de personagens insossos, e um blá-blá-blá interminável. Aberturas assim são um convite para que abandonem a obra após algumas páginas, e você certamente não deseja isso. Portanto, certifique-se de incluir esta característica literária tão importante para manter o interesse dos leitores.

Para Toda Regra, Há Exceções

Como mencionado no início, estas nunca se propuseram ser regras invioláveis. O objetivo delas é orientar os escritores quanto a detalhes que precisam ser analisados. Desta forma, tudo aquilo que você decidir incluir ou eliminar do primeiro capítulo será feito de forma consciente, e não por distração.

Finalmente, o Checklist

Diante do que foi considerado, você pode analisar o primeiro capítulo do seu livro e comparar com este checklist:

  • O protagonista foi apresentado?
  • Foi definido claramente o que ele quer?
  • Foram eliminados detalhes desnecessários sobre ele?
  • As características mais importantes do protagonista, aquelas que serão capazes de conquistar a empatia dos leitores, estão claras?
  • A quantidade de personagens secundárias é pequena o suficiente para não ofuscar o protagonista?
  • O antagonista foi apresentado?
  • O tom e o estilo do livro são claramente percebidos nos parágrafos introdutórios?
  • Está claro onde e quando ocorre a trama?
  • Foi inserido elementos que despertem a curiosidade dos leitores sobre o que será revelado mais a frente no livro?

E o que você acha? Acredita que é difícil colocar todos estes elementos no início de um livro? Há outros fatores que devem ser considerados ao escrever o primeiro capítulo de um romance? Deixe sua opinião.

28 Comments

  1. Denise Capece Coelho de Souza

    21 janeiro, 2016 at 11:17

    Gostaria de saber se você acha que devo aplicar / analisar estas regras para livros infantis.
    Muito obrigada.

    • Juliano Martinz

      21 janeiro, 2016 at 15:21

      Olá Denise,
      Se o livro infantil for ficção (ou um romance biográfico), então, a resposta é sim. São as mesmas regras. Apenas no tocante ao prólogo, acho totalmente desnecessário em livros infantis. Evidentemente, livros infantis possuem diversas outras características que devem ser consideradas, como frases e capítulos mais curtos, etc.

  2. Valeu… Cada vez sinto mais firmeza nas deixas aqui apresentadas… Assim que enriquecer, não me esquecerei das origens :) Abraço

  3. Edleusa Tavares

    17 fevereiro, 2016 at 09:48

    Fui feliz com tudo o que li aqui, analisei cada palavra, cada dica e confesso, não estou muito fora disso. Muito bom, gratidão pelo ensinamento!

  4. Estou a começar um romance histórico. Pode dar-me alguma dica em especial para este tipo de livro? Obrigado

  5. Anotei todas as dicas! Nunca escrevi um livro mas sempre tive essa vontade. Agora com 34 anos resolvi começar pelo menos a colocar minhas ideias no papel. Quero escrever um livro que é baseado em fatos reais, mas quero que pareça uma ficção, não que pareça uma historia verídica, vou alterar os nomes e tudo, porém quero incluir também fatos que não ocorreram. Ainda não sei em que estilo vou encaixar pois trata-se da história de uma garota que cresceu, morou em vários lugares, teve problemas familiares, o alcoolismo será retratado dentro de casa…entre outras coisas como (fazer parte de uma comunidade religiosa secreta…etc..), o estilo seria drama? Ou suspense? ou outro? Outra duvida é sobre a parte, “onde e quando a trama acontece”, bem ela acontece em vários lugares, cidades e até países diferentes e em momentos diferentes da vida dessa protagonista. Alguma dica? Muito Obrigada!

    • Juliano Martinz

      21 fevereiro, 2016 at 17:19

      Pelo que mencionou, o estilo puxa para o lado dramático, embora haja outros elementos (como suspense). Se você introduzir seu livro como drama ou com um evento de suspense (uma situação perigosa na comunidade religiosa secreta, por exemplo) estará no eixo correto. Mas certamente não introduziria com algo engraçado e humorístico.
      Sobre o “local” apenas se certifique de que isso fique evidente para quem está lendo o capítulo. Se diferentes eventos acontecem em diferentes países, deixe isso claro.

    • Marcelo Tomé

      27 junho, 2016 at 19:58

      Cara, recomendo que leia “As Travessuras da Menina Má” do Mário Vargas Llosa, escrita fantástica num roteiro muito bom e que remete a vários lugares!

  6. No caso de um livre que se inicia em uma cidade, mas terá seu climax em uma outra, como colocar isso nos primeiros capítulos?

    • Juliano Martinz

      22 abril, 2016 at 13:18

      Olá João, neste caso você deve situar as personagens apenas na cidade onde a trama inicia. Você não precisa mencionar a outra cidade, onde ocorrerá o clímax, no capítulo inicial.

  7. Vivianne Cabral

    4 maio, 2016 at 13:22

    Olá boa tarde, meu primeiro capitulo faltou fluidez e algo que fizesse o leitor passar para o segundo. Suas dicas foram valiosas. Obrigada

  8. Bruna Araújo

    2 julho, 2016 at 03:19

    Oi eu to ansiosa e curiosa.. quero escrever sim, só não sei por onde começar e como… queria ter alguém pra conversar do assunto vou deixar meu email caso alguém queira…
    Valverdes2@hotmail.com
    Obrigada… Bruna!

  9. Olá, sou amante da literatura e a muito tempo que penso em escrever.
    Sou criativo isso porque as pessoas dizem, o que me leva a pensar em escrever muita coisa. confesso que esta matéria me ajudou bastante. Vou ler até se cansar.

  10. Antonio Carlos Menezes

    15 outubro, 2016 at 22:40

    Excelente tudo que li aqui. Parabéns!!!

  11. Luis Otavio Lopes

    25 outubro, 2016 at 13:59

    a minha personagem principal morre no final! O que eu posso fazer, já tentei de todo jeito colocar outra personagem como protagonista, mas não dá!
    Mudo o final ou arranjo outra coisa? Help me!!!

    • Juliano Martinz

      27 outubro, 2016 at 17:12

      Olá Luis Otavio, não vejo problema nenhum na personagem principal morrer no final. O que acha de deixar do jeito que está?

  12. Olá, não sou escritora mas decidi escrevi um livro contando minha história de vida a fim de ajudar as pessoas, seria um auto biografia, existe regras diferentes para esse caso ou aplico as mesmas?

    • Juliano Martinz

      7 novembro, 2016 at 13:24

      Oi Fernanda, você talvez escreva uma autobiografia disfarçada de “romance”. Neste caso, utilize as mesmas regras mencionadas no artigo. Mas, no caso de uma autobiografia explícita, de modo geral, partimos da ideia do cronológico. Autobiografias começam com uma visão geral sobre os pais e avós, seguindo pelos detalhes significativos da vida do biografado. Em muitos casos, não será possível aplicar todas as regras acima. Por exemplo, em uma autobiografia, há a necessidade de uma descrição mais detalhada sobre o biografado; o antagonista poderá levar vários capítulos para aparecer, talvez somente na fase adulta; o número de personagens secundárias será muito maior e precisam ser apresentadas em seu contexto. Enfim, muito dependerá de como é sua história. Obrigado pela visita!

  13. Aprendi muito com todas as dicas. Obrigada de coração, espero conseguir implementar todas no meu primeiro projeto.

  14. Gostei muito de suas dicas, e tenho certeza que irão me ajudar. Espero agora conseguir começar e concluir uma história, porque já comecei algumas (tenho inúmeras idéias), mas nunca terminei.
    Tenho um probleminha ás vezes: consigo pensar em toda a história, mas não pôr no papel, ou se coloco, não consigo transformar em um livro, apenas poucas páginas e conto tudo! Alguma dica para esse meu problema??
    Agradecida, Treyce.

    • Juliano Martinz

      28 novembro, 2016 at 08:05

      Olá Treyce, o ideal é que você começasse a escrever histórias mais curtas. Já tentou isso? Em vez de partir para um romance de centenas de páginas, tente um conto de algumas poucas páginas (10 ou 15). Um dos grandes impulsos para um escritor (e para qualquer profissional, afinal) é iniciar e concluir um trabalho. Isto serve de estímulo. Se tentar histórias menores, e conclui-las, sua motivação cresce. Com o tempo, fica mais fácil dar um passo maior e partir para um romance. Abraços.

    • Eu li o que escreveu que tal, se vc escrevesse tudo e fizesse uma releitura separasse a história por parte pra ver onde tudo se encaixa onde estaria pecando se realmente teria tudo que precisa, suspensa, drama, romance… escreva e estude sua história, pense ela será uma história pra encenar no Teatro talvez fique mais fácil… RS

  15. Rayssa Scarabelly

    28 novembro, 2016 at 00:00

    Oi.
    Estou começando a escrever um livro de romance, e não consigo sair das primeiras páginas.
    E quero ir logo para o meio da história.
    O que eu faço ?

    • Juliano Martinz

      28 novembro, 2016 at 08:02

      Oi Rayssa, Vá direto para o meio da história. Escreva o que está inspirada a escrever. Depois de concluído, você volta ao começo e escreve os primeiros capítulos.

      • ola….boa noite, meu nome é Elizeu, estou gostando muito dessas preciosas dicas… sempre tive muita vontade de escrever um livro, e agora nos ultimos dias, estou bastante animado,para realizá-lo, tenho uma ideia de escrever um sobre fatos veridicos misturando com um pouco de ficcao….sera que daria certo…..ou faço apenas de fatos reais…. o que sugere…
        Muito Obrigado…..desde ja…

        • Juliano Martinz

          6 dezembro, 2016 at 18:19

          Já explorei esta experiência em um dos meus livros, Elizeu. Fica a seu critério. Se caso misturar fatos reais com ficção, certifique-se de alterar os nomes das pessoas.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑