Corrosiva

Crônicas corrosivas e gestos de amor

4 Dicas Para Criar Dilemas Morais Para Personagens

O que faz com que, ao chegar ao final de um capítulo, o leitor não consiga deixar o livro de lado? Entre os recursos para isso, destacam-se os dilemas morais enfrentados pelas personagens em contos e romances.

Fazer com que a leitura se torne tão empolgante a ponto dos leitores não desejarem largar o livro (ou pelo menos, que continuem ansiosos para prosseguir a leitura mais tarde) não é uma tarefa fácil. Diversos elementos combinados podem contribuir para esta situação.

Mas vamos nos deter em um deles: os dilemas morais.

Como se coloca uma personagem diante de um dilema moral que “obrigará” seus leitores a continuarem lendo o próximo capítulo?

Para construir esta situação, você precisa ter em mente as seguintes 4 dicas. Elas fazem do processo sobre como criar personagens.

1. Crie Um Código de Moral Para Sua Personagem

Dilemas morais de uma personagem literáriaPrimeiramente, você precisa criar um código de moral para a personagem. Pessoas são guiadas por princípios, convicções. E estas características precisam ser trazidas à tona de forma clara e evidente. A personagem pode ser um pai disposto a tudo para conseguir um tratamento para sua filha com uma doença grave; um soldado com um inviolável código de honra disposto a morrer pelos seus companheiros; um ladrão de banco incapaz de maltratar mulheres e crianças.

Dê uma olhada nas personagens principais de sua obra de literatura? Eles possuem um código de moral? Se não, pode-se dizer que são personagens sem graça, sem sal. Ou pode ser que até possuam estes princípios, mas você simplesmente se esqueceu de deixar isso claro ao longo dos capítulos. Então revise o que escreveu, e certifique-se de atribuir-lhes princípios e fortes convicções que farão diferença na hora que os dilemas surgirem.

Por exemplo:

Um motorista bêbado tira a vida do filho de um homem pacifista. Após considerações técnicas, o motorista é posto em liberdade. O pai do jovem morto confronta-se com um dilema: manter sua postura pacifista ou fazer justiça com as próprias mãos.

Fim do capítulo.

E agora?

O que ele vai fazer?

Para saber, preciso ler o próximo capítulo. Com isso, você mantém a curiosidade sempre em alta.

Portanto, ao escrever um livro, liste alguns possíveis códigos de moral para enriquecer suas personagens. Escolha o melhor e explore-o no decorrer do livro.

2. Ameace a Personagem

Como destacado no subitem anterior, um código de moral talvez seja rompido. No entanto, para isso, é preciso que a personagem seja ameaçada, colocada sob uma intensa prova.

Mas esta provação precisa ser realista. Então, você deve pensar nela isoladamente. Se o protagonista é um pacifista, o que seria capaz de tirá-lo deste âmbito? Se um chefe de família é extremamente dedicado à família, o que seria capaz de fazê-lo abandonar esposa e filhos? Estas situações podem ser pensadas durante os estágios iniciais do livro, quando você ainda está esboçando as personagens. Por outro lado, as ideias talvez fluam mais intensamente enquanto você escreve.

Portanto, independentemente de quando, o importante é que você não seja amiguinho(a) do protagonista ou outras personagens. Muitos autores iniciantes cometem o erro de se apaixonar por algumas personagens a ponto de protegê-las durante a narrativa. Não cometa esse erro. Teste suas personagens, prove-as, não lhes dê uma saída fácil. É importante que as duas opções de escolha afetem profundamente seu futuro. Será algo que impactará seu dia a dia por anos, talvez, por uma vida inteira. Assim, coloque-as em situações que realmente sejam capazes de fazê-las rasgar seus códigos de moral. Se farão isso ou não, só vamos saber nos próximos capítulos.

3. Surpreenda os Leitores

Seu protagonista foi confrontado com um grande dilema: fazer ou não fazer. Segundo todas as evidências, ele tem apenas duas opções: toma uma atitude A ou uma atitude B. De repente, para surpresa de seus leitores, o protagonista consegue criar uma via de escape, uma terceira opção, uma atitude C. Com esta, ele consegue resolver seu dilema sem precisar lidar com as consequências das ações A ou B.

É preciso cautela ao criar uma via de escape para a personagem. Se não forem criativas, podem ser como um balde de água fria nos leitores. Se for utilizar uma terceira via de escape, lembre-se que ela precisa ser empolgante, daquelas que façam os leitores suspirar. O tipo de reação que fará os leitores admirarem ainda mais a personagem do seu romance.

Dilemas morais de uma personagem literária

4. Dilemas Morais Estrategicamente Posicionados no Final dos Capítulos

Como já deixei previamente subentendido neste texto, é proveitoso colocar suas personagens confrontando dilemas morais ao final de capítulos. Por quê? De modo geral, o local mais conveniente para os leitores interromperem uma leitura é no final dos capítulos. Portanto, para que eles continuem lendo seu livro (ou que, pelo menos, fiquem curiosos com o que virá a seguir) é importante que estes dilemas sejam estrategicamente colocados no final dos capítulos.

Assim, ainda que ele não continue a ler o próximo capítulo imediatamente, ele o fará na primeira oportunidade que tiver.

1 Comment

  1. Marco Albuquerque

    30 outubro, 2016 at 03:51

    Muito boas e coerentes as dicas, parabéns.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2016 Corrosiva

Theme by Anders NorenUp ↑